04/06/2007

.: AOL .: Os melhores momentos

Alguns dos trechos mais marcantes das minhas entrevistas no finado portal brasileiro da AOL. Enjoy!

“É complicado lidar, por exemplo, com uma criança de oito anos que vai ao meu camarim vestida exatamente como eu e dizendo que acha meu som do c*. Tudo que posso fazer é abraçá-la e pedir para que ela procure por si mesma dentro de tudo isso. Sempre tento manter esta postura.”
- Pitty, 30/09/2004

“Não sou modelo, não estou aqui para brincar de banda. Já provei que meu trabalho é pra ser levado a sério. Rola uma confusão porque as nossas letras são muito diretas. Eu tô ali na primeira pessoa, no feminino. Às vezes as pessoas acham que sou eu mesma em todas as situações das músicas, que eu sou a 'boneca má'.”
- Bianca Jhordão, vocalista do Leela, 31/01/2005

"Eu entendo o que acontece no caso do D2. Ele é vocalista do Planet Hemp – então, muitas pessoas do hip hop o vêem como cantor de rock, alguém que não é originalmente do movimento. E outra: muita gente não aceita muito bem esta história da maconha, porque na verdade a gente quer é tirar os moleques da droga e do crime. Eu mesmo conheço ele, a gente já tocou junto. Mas este é o problema. O hip hop vê ele como vocalista de banda de rock que gravou dois discos de rap, e não como rapper, como ativista do rap como eu, como o Thaíde, como o MV Bill"
- Rappin' Hood, 12/04/2005

” Eu seria vendido se trabalhasse oito horas por dia e estivesse numa folha de pagamento. Quando eu me formei, podia ter sido um ótimo advogado. Todo mundo aqui podia ter sido excelentes empregados, mas preferimos ser roqueiros vagabundos. E nos orgulhamos disso.”
- Rodrigo, vocalista do Dead Fish, 07/05/2004

“A gente dificilmente é apenas o que cabe num hifenado apostrofado redutor e simplificante. Somos legião.”
- Lulu Santos, assumindo seu lado caetânico, 29/07/2004

“A gente ficava se perguntando como ele (David Coverdale) conseguia ficar 24 horas por dia preocupado em ser um rock star. O restante da banda só conseguia ser rock star durante duas horas por noite".
- Ian Paice, baterista do Deep Purple, 09/09/2003

“Se uma entre dez pessoas gostar de nós, então está bom, porque já é muita gente. Mas temos que esperar para ver. Acho que vamos valer a pena para bastante gente."
- Robert 'Robban' Eriksson, baterista do Hellacopters, 18/09/2003

"Na minha casa, eu organizo meus discos por ordem alfabética. Não tem esta coisa de 'agora vou ouvir um disco de R&B e depois um heavy metal'. Pra mim, só existem dois tipos de música: a ruim e a boa.”
- Max de Castro, 22/03/2005

“Se você perguntar pra mim o que é mais brasileiro, Sepultura ou Carmen Miranda, te digo: é claro que é o Sepultura. É um projeto todo nosso, a Carmen Miranda é um projeto do Walt Disney, é como o americano nos vê. Horrível, por sinal. Dançando rumba... E a tropicália adota a Carmen Miranda como ícone. E é isso que vai deixando a gente enlouquecido: daqui a pouco, a música brasileira vira um sarau do século 19. Aí existe aquela dignidade burocrática, que faz remeter a um imaginário no qual as pessoas acham que é chique ser Elis Regina.”
- Lobão, 18/03/2004

” Medieval, aliás, é um tema difícil no Brasil porque o ambiente 'Caetano' não permite. Você tem que pular Carnaval, jogar confete. Se você não é muito alegre, acaba sendo considerado estrangeiro. O cara que ouve MPB dificilmente vai gostar de Angus.”
- Orlando Paes Filho, autor da série “Angus”, 05/11/2004

“Aprendi muita coisa naquela época. Aprendi a lidar com o público, como portar no palco. Aprendi a ser artista.”
- Patrícia Marx, falando sobre o Trem da Alegria, 07/03/2005

” Conheço salsa, rumba. Estes são gêneros familiares para mim porque eu era dançarina. Nada muito mais do que isso. E conheço as bandas de heavy metal... Sepultura, Angra, Shaman”
- Tarja Turunen, ex-vocalista do Nightwish, sobre seu conhecimento de música latina, 29/04/2004

“É bom que as mulheres achem que você é gay, ajuda que elas se sintam ainda mais atraídas por você. Talvez seja por causa das minhas roupas. Eu gosto de roupas estranhas. Mas estou saindo do armário: eu sou heterossexual (muitos risos). Sei que as pessoas vão ficar desapontadas...mas é a mais pura verdade. Estou saindo do armário.”
- Tobias Sammet, vocalista do Edguy, 28/09/2004

"O MP3 não é uma ameaça para o heavy metal. Talvez seja para a Britney Spears - afinal, não existe diferença entre o som dela no CD ou em MP3.”
- Christofer Johnsson, guitarrista do Therion, 20/08/2004

“Não adianta processar o seu público! Este não é o caminho! Para impedir a pirataria, eles vão lá e prendem o cara da banca de CDs ali da esquina, que é pai de 3 filhos. Não é por aí. A coisa toda está muito mais em cima. Acha que resolve algo processar uma menina de 12 anos e um senhor de 70?”
- João Marcelo Bôscoli, presidente da Trama

”Na Trama, a maioria das pessoas ou é filho de artista, ou é aquelas caras das antigas, tipo Cláudio Zoli, tem Ed Motta (que também é sobrinho)... Acho bem escroto, sacumé? Porque os caras fazem uma tramóia para agarrar aquela galerinha ‘moderna’, que diz que esta é a música brasileira... Tem que ser purista, tem que ser brasileiro. Eu, hein? Não quero fazer bossa, violãozinho, quero fazer rock 'n roll, foda-se. É muita frescuragem.”
- De Leve, 12/03/2004

“Dinheiro, dinheiro... As pessoas que falam isso não sabem o que estão dizendo. Nós não tocamos pop, estamos tocando heavy metal. São poucos os músicos que realmente fazem dinheiro com heavy metal. Fazemos isso porque nós gostamos. Se não fosse por isso, nunca tocaríamos este tipo de música.”
- Alex Staropoli, tecladista do Rhapsody, 26/01/2005

"É justo. Para mim, death metal é coisa de bandas como Cannibal Corpse, Nile e Vader. Nossa música é diferente. Nós nunca pedimos para ser chamados assim.”
- Niklas Sundin, guitarrista do Dark Tranquillity, 14/01/2005

“Bom, esta é uma questão meio complicada pra mim (risos). A primeira vez que os vi durante um programa na TV alemã, lembro que pensei "O que diabos está acontecendo aqui?" (muitos risos). Não é ruim...mas, na minha opinião, é estranho pensar que isso é o que as pessoas esperam de uma banda de metal. Eu quero mesmo que eles façam sucesso, de verdade. Não sou invejoso. Mas, neste caso, eu gostaria de fazer mais sucesso do que eles (risos).”
- Ralph Scheepers, vocalista do Primal Fear, falando sobre o The Darkness, 21/05/2004

“É um verdadeiro massacre o que temos nas rádios hoje, as mesmas músicas de 25 anos atrás tocando à exaustão. O público precisa reciclar as informações que recebe e está ficando cada vez mais consciente disso porque já se cansou. Espero que as rádios sejam espertas e percebam que quem sair na frente vai ganhar a fatia maior desse público. Acho que é uma questão de tempo.”
- Vanessa Krongold, vocalista do Ludov, 14/06/2004

“Porque nós temos um desejo extremo de sobreviver e...bem, você sabe...só os melhores sobrevivem [risos]. Não, eu não posso te dizer o motivo exato. Mas tivemos muita sorte de ouvir monstros sagrados como Black Sabbath, AC/DC, Judas Priest e aprendeu o que eles queriam dizer. Mas eu te digo: não importa o que aconteça, vocês têm a sorte de ter o melhor clima do mundo [risos].”
- Chris Botendahl, vocalista do Grave Digger, comentando a enorme quantidade de bandas alemãs de heavy metal, 29/04/2005

“O Wonkavision não tem vergonha de ser pop. Pop, numa palavra, popular, fácil de ser entendido por um grande número de pessoas."
- Will Prestes, guitarrista e vocalista do Wonkavision, 21/02/2005

“Outro dia nos contataram para fazer um show em Marte. O cachê é muito bom, dizem que o lugar é absurdo, mas os promoters marcianos disseram que o transporte era por nossa conta. Estamos pensando na proposta.”
- Frito Sampler, do Jumbo Elektro, 25/06/2004

Um comentário:

Emília disse...

ótimo!

algumas frases como "aprendi ser artista", não existem! não se aprende a ser artista, na minha opinião, você precisa descobrir uma forma de mostrar a arte que já está em você...hahaha, to começando a viajar.
O que importa é que gostei muito de seu blog, ok!? passa no meu tb :)