26/06/2007

.: MÚSICA .: Bruce Dickinson produzindo filme sobre Aleister Crowley

O jornalista britânico Dave Ling confirmou uma notícia que já vinha circulando no meio metálico há algum tempo: o frontman do veterano grupo Iron Maiden, o baixinho arretado Bruce Dickinson, vai mesmo fazer um filme a respeito de Aleister Crowley – ocultista que é ídolo e inspiração de artistas diversos como Marilyn Manson, Jimmy Page (Led Zeppelin), Os Beatles e Ozzy Osbourne (que, inclusive, compôs a clássica canção “Mr.Crowley” em homenagem ao sujeito).

Embora ainda não se saiba se Dickinson planeja marcar também sua estréia como cineasta nesta película, fontes indicam que pelo menos um nome já estaria confirmado no elenco: Simon Callow (o Andre de “O Fantasma da Ópera”, versão Joel Schumacher). Outro detalhe que permanece obscuro é se Dickinson irá ser responsável pela trilha sonora da produção.

De acordo com Ling, a história seria a respeito de um professor universitário que, depois de ver um experimento dele fracassar, ficaria obcecado pela alma de Crowley – perseguindo uma estudante de cabelos ruivos, o tipo de mulher favorito do escritor, místico e filósofo.


Mais manchetes do mundinho pop:

- No MySpace oficial dos caras do Bad Brains, já dá para ouvir na íntegra todas as músicas do novo disco da banda, batizado de “Build A Nation”. Manda ver: http://www.myspace.com/badbrains

- Abram-se as portas do mundo bizarro: sabe o Hudson, aquele sujeito que faz parte de uma dupla sertaneja com o irmão Edson? Talvez você não saiba, eu te perdôo. De qualquer maneira, o fato é que: 1) ele vai lançar um disco de rock, com 13 canções – sendo que 11 serão instrumentais e contando com o próprio na guitarra; 2) duas das faixas terão a participação especial de Andreas Kisser, o guitarrista do Sepultura; 3) Hudson se diz influenciado pelo Pink Floyd e afirma que sempre ouviu Guns ‘n’ Roses, Alice Cooper, Bom Jovi, Steve Vai, Joe Satriani e...Anthrax!!!; 4) para completar, ele ainda afirmou, em entrevista ao jornal Agora: “vai agradar muito aos fãs de Heavy Metal e também aos que gostam de Edson & Hudson”. A única palavra para descrever tudo isso é “surreal”. Só mesmo no Brasil seria possível uma mistureba desse tamanho.

- O site noticioso chinês CriEnglish conversou com o produtor executivo dos dois primeiros “Kill Bill”, de Quentin Tarantino, durante o Shanghai International Film Festival – e ele afirmou que existe a possibilidade de termos mais dois filmes da série, ambos rodados na China. “O terceiro seria sobre dois matadores cujos braços e olhos foram feridos por Uma Thurman nas primeiras histórias”, afirmou Bennett Walsh, confirmando ainda a presença da atriz retornando ao papel de Beatrix Kiddo. “Já o quarto mostrará um ciclo de represálias e filhas que surgem para vingar as mortes de suas mães”. Considere o tempo que Tarantino demora para lançar seus filmes e perceba que talvez a coisa demora mais do que o imaginado para sair do papel.

- O escocês Gerard Butler (o sarcástico comandante Leônidas de “300”) vai liderar o elenco de “RocknRolla”, o retorno do inglês às histórias de mafiosos que ele sabe contar tão bem – e que, de preferência, não tenham a participação de sua amada esposa Madonna. Ele será One Two, um bandidão local que aprendeu a caminhar pelos dois lados da cerca. Tom Wilkinson (“Entre Quatro Paredes”) será Lenny Cole, parte da antiga máfia londrina e que vem perdendo espaço para os ricaços da máfia estrangeira. Thandie Newton (de “As Crônicaaaaaarghs de Riddick”) será o interesse romântico de One Two, enquanto o rapper Ludacris interpretará um músico americano tentando fazer a vida na Terra da Rainha.

- Por falar em rappers estadunidenses meia-boca, Curtis “50 Cent” Jackson ganhou a chance de sua vida: ele será um traficante de drogas (perceba como eles fazem sempre os mesmos papéis?) em “Righteous Kill”, thriller policial estrelado pela dupla Robert De Niro e Al Pacino. A direção é de Jon Avnet, de “88 Minutos”. - Tom Cruise não poderá filmar “Valkyrie”, produção de Bryan Singer (“Superman – O Retorno”) a respeito de um plano mal-sucedido do coronel Claus von Stauffenberg, para matar Adolf Hitler, nas verdadeiras bases militares alemãs. O motivo? O governo do país afirma que o ator faz parte da Cientologia, que eles não reconhecem como religião mas sim como uma “máquina de fazer dinheiro”. Se lascou, catatau.

- Paris Hilton saiu da cadeia depois de cumprir cerca de metade da sua pena de 45 dias, sem dar entrevistas e correndo direto para o carro dos pais. Dizem os mais próximos que, desta vez, ela estava usando calcinha. Quem se deu mal (de novo) foi o podreiraço Tom Sizemore (“Falcão Negro em Perigo”), que rompeu a sua condicional ao ser encontrado com metanfetaminas no carro. Resultado? Vai para o xilindró por 16 meses.

Nenhum comentário: