02/08/2007

.: CINEMA .: O adeus a dois mestres

Antes tarde do que nunca:


- No dia 30/07, morreu aos 89 anos o diretor sueco Ingmar Bergman. Vencedor dos Oscars de “melhor filme estrangeiro” em 1960, 1961 e 1983. Entre seus filmes, destaca-se o clássico “O Sétimo Selo” (1956), com Max Von Sydow. "O cinema não é um ofício. É uma arte. Cinema não é um trabalho de equipe. O diretor está só diante de uma página em branco. Para Bergman estar só é se fazer perguntas; filmar é encontrar as respostas. Nada poderia ser mais classicamente romântico". (Jean-Luc Godard, "Bergmanorama", Cahiers du cinéma, Julho - 1958).

- No mesmo dia, faleceu também o italiano Michelangelo Antonioni. Apesar de, em termos de “diretores italianos pós-guerra”, preferir o trabalho do Fellini ou do maluco do Pasolini (não que eu seja exatamente o maior fã do cinema europeu, mas até que gosto de algo aqui e acolá), não dá para negar a força de um filme como “Depois Daquele Beijo”, com a nudez frontal de Jane Birkin.

Nenhum comentário: