20/09/2007

.: CINEMA .: “Tropa de Elite”? E eu com isso?

Mas tanto tem se falado a respeito deste tal “Tropa de Elite”, do cineasta brasileiro José Padilha, cuja cópia de serviço caiu na boca do povo e nas banquinhas dos pirateiros, tornando-se um verdadeiro hit antes mesmo do seu lançamento, que eu até estava curioso para vê-lo. Ia até dar uma chance e tal. Mas foi só eu começar a ler as primeiras críticas, que se apressaram em tachar a obra como uma espécie de “Cidade de Deus” visto pelo ponto de vista dos policiais, que a vontade rapidamente esfriou. Broxei.

Será que eu sou a única pessoa do mundo que acha que uma comparação com “Cidade de Deus” não é necessariamente um elogio? Será que eu sou o único fã de cinema do Brasil (quiçá, do planeta, vide a enorme quantidade de cinéfilos britânicos que babam o ovo da película do Meirelles) que não acha “Cidade de Deus” a última bolacha do pacote? Dêem-me o orçamento do cara e eu também faço um filme de ação/violência na medida certa para os gringos verem! Humpf!

- Acabou a espera: os mais recentes filmes de Robert Rodriguez e Quentin Tarantino, devidamente separados, já têm data de lançamento confirmada no Brasil. “Planeta Terror” pinta por aqui no dia 2 de novembro, enquanto “À Prova de Morte” chega só no ano que vem, no dia 31 de março de 2008.

- A Marvel vai bem com seus filmes de cinema, mas ainda vai demorar para bater a DC quando o assunto são desenhos animados. Dá só uma olhada nesta prévia de dez minutos da animação longa-metragem “Justice League: The New Frontier”, que adapta a minissérie (assim mesmo, sem hífen e com S dobrado, corrigindo a mim mesmo) retrô de mesmo nome, escrita e desenhada por Darwyn Cooke. De babar. Clique aqui! O lançamento rola nos EUA no dia 28 de janeiro de 2008.

- Por falar em Liga da Justiça, o filme do supergrupo da DC, a ser rodado com captação de movimentos, teria um substituto para Christian Bale (“Batman Begins”) sob a capa do Batman: Ryan Gosling, o jovem advogado de “Um Crime de Mestre”. É claro que se trata de boataria. Mas que o moleque é bom ator, isso é. Tanto quanto Bale, aliás. A direção, segundo consta, ainda continua a cargo de George Miller (“Mad Max”, “Happy Feet – O Pingüim”).

- E como falamos em Cooke: parece que depois que o cara deixar os roteiros do gibi “The Spirit” (a obra máxima do falecido mestre Will Eisner), teremos ninguém menos do que Sergio Aragonés como substituto. O pai do Groo, cara! Ay, caramba!

- Um pequeno espaço para a “sessão-fofoca”: parece que a dona Angelina Jolie quer aumentar a creche que anda montando com o galã Brad Pitt. Depois da mítica Shiloh (AMÉM!) e dos três filhos adotivos vindos de diversas partes do mundo, parece que o casal mais famoso de Hollywood estaria de olho em países como a Guatemala e o Brasil para buscar o novo membro de seu clã. Já tem gente falando em se candidatar à vaga.

- Em “O Incrível Hulk”, o novo filme do raivoso Verdão que promete ser uma nova leitura do personagem nas telonas, pelo menos uma coisa será igual ao filme de Ang Lee: a participação especial do bombado Lou Ferrigno, que interpretava o Hulk, todo pintado de verde, na série setentista de TV. Até agora, no entanto, não se sabe quem ele viverá. O protagonista da vez, substituindo Eric Bana, é o ótimo Edward Norton – que, veja só, está até escrevendo o roteiro da bagaça.

- O tal prólogo da franquia “Sexta-Feira 13” vai, enfim, sair do papel. A dupla Damian Shannon e Mark Swift, responsável pelo memoravelmente ruim “Freddy x Jason”, vai cuidar do roteiro. Há algum tempo, o nome de Jonathan Liebesman (“O Massacre da Serra Elétrica: O Início”) era dado como certo para contar esta história sobre a origem do psicótico mascarado Jason Vorhees. O nome do filme eu já tenho: Quinta-Feira 12 (infame? ‘MAGINA!).

Um comentário:

nsm disse...

A Respeito do filme tropa de elite, axo bom vc assistir primeiro, pra depois fazer comparação com Cidade de Deus. Pois vc esta levando em consideração comentários e resenhas do filme, feitas por terceiros. Melhor vc tirar sua própria conclusão, que assim fica mais facil de discutir se o filme é bom ou não