28/11/2007

.: QUADRINHOS .: O retorno da identidade secreta do Homem-Aranha

Quando a Marvel Comics decidiu fazer o Homem-Aranha vir a público, durante a saga “Guerra Civil”, e tirar a máscara em rede nacional revelando que se tratava de Peter Parker, devo ter sido um dos únicos leitores que achou a idéia do grande carvalho. Fazia todo o sentido do mundo que Peter enxergasse uma figura paterna em Tony Stark, um bem-sucedido gênio científico que prometeu, pela primeira vez em sua conturbada aracno-história, dar-lhe todas as condições para cuidar de sua família – aquele elemento que sempre foi o grande pilar de sustentação do seu caráter.

Fazia sentido que ele tomasse esta decisão e fosse o primeiro grande apoiador da Lei de Registro dos Super-Heróis, justamente por se tratar de um dos heróis mais combatidos pela imprensa e pela opinião pública do mundo Marvel. Assim como também acho que faz total sentido para o contexto do personagem que, pouco depois, Peter percebesse a cagada homérica que cometeu, ameaçando seus entes queridos e indo contra todo o conceito de liberdade pelo qual sempre lutou, devidamente aprendido com o saudoso Tio Ben – e então mudasse de lado, unindo-se aos rebeldes liderados pelo Capitão América.

Lindo, lindo, lindo.

Mas eu também sabia claramente que a Marvel teria que ter culhões para segurar a onda daí pra frente no gibi mensal do Cabeça de Teia. Os roteiristas teriam que ter liberdade para mudar muita coisa, mas muita coisa MESMO, em toda a estrutura narrativa dos gibis do herói, que enfrentaria barras cada vez mais pesadíssimas depois da revelação. As histórias ficariam intrincadas, complicadas, ainda mais sombrias e bagunçadas no universo da identidade civil do Aranha, sob a máscara. Eu, como otimista irrecuperável que sou e como aspirante a escritor, enxerguei possibilidades divinas advindas daí, uma reviravolta tremenda na mitologia dos Parker, e por um breve período de tempo, acreditei verdadeiramente que a Casa das Idéias teria as bolas para manter-se firme e forte neste novo rumo. Afinal, sempre adorei ler os gibis clássicos do Spidey, molecote loser-type e fotógrafo do Clarim. Só que até os heróis precisam crescer. A gente merecia ver isso. EU queria muito ver isso. Um novo caminho, com novos problemas.

Mas logo percebi que eu estava errado. Que não demoraria até a editora resolver colocar a cronologia mais ou menos em ordem, devolvendo o Aranha ao seu status corriqueiro – caraca, como diabos o Homem-Aranha dos gibis poderia ser assim tão radicalmente diferente do Homem-Aranha das outras mídias, do cinema e dos desenhos animados, um adulto, casado, com a identidade tornada pública e sempre em rota de fuga? Não dá, né? Os marketeiros da casa deviam estar arrancando os cabelos!

Aí, veio aquele boato sobre uma entidade interdimensional que apareceria do nada e jogaria toda a realidade do Aranha de volta ao passado, dando uma espécie de reboot em sua cronologia, mostrando-o novamente como um pivete no colegial, coisa e tal. Isso já parecia tenebroso, uma saída do tipo “leitor, estou chamando você de imbecil na cara dura”. Mas a Marvel me veio com uma coisa ainda pior. Bem mais simples. Mas muito pior. Vou fazer um resumo: na recém-lançada edição de número 7 de “Avengers: The Initiative”, somos apresentados a um trio chamado de Aranhas-Escarlate (maldito senso de humor mórbido...), três operativos do governo equipados por Tony Stark com versões ainda mais avançadas da armadura aracnídea vermelha e dourada desenvolvida anteriormente para o nosso simpático Parker. Uma das principais alterações é a possibilidade de modificar a seu bel-prazer as vestimentas, podendo simular qualquer roupa civil ou uniforme...e também a máscara, que poderia simular qualquer rosto para efeito de disfarce. Percebeu a merda?

O tio explica: um grupo de vilões chamado Abutres, inspirados no velhote original que é da galeria clássica do Aranha, roubou uns planos X do governo. Caçados pelos Aranhas-Escarlate, eles tocam o maior terror e, para detê-los, os três vão ter que contar com a ajuda do nosso Escalador de Paredes original. Eles trocam uns sopapos iniciais (básico...), mas é o azarado Parker quem salva o dia no final. Como retribuição...eles vão para a TV e contam que, na verdade, quem teria revelado publicamente a identidade secreta do Aranha teria sido um deles, utilizando a tal roupitcha cyber para simular os poderes do herói e o rosto de Parker, escolhido ao acaso. Ou seja: a idéia é convencer o mundo inteiro de que, enquanto esteve usando o traje-presente de Stark, aquele Homem-Aranha na verdade não era o verdadeiro Homem-Aranha. Tudo não teria passado de uma encenação para ajudar a apoiar a Lei de Registro.

Ai.

Veja bem: esta é apenas uma variação mais rocambolesca de tudo que aconteceu com Matt Murdock depois que um sujeitinho da Máfia liberou a informação de que ele é o Demolidor. Agora, ele vive todos os dias com a eterna desconfiança da mídia, do público e de seus próprios inimigos: será que é ele? Ou não? Mas...cá entre nós...tenho receio de que a Marvel não arrume um roteirista tão bom quando o próprio Bendis para conduzir este material do jeito que merece, com a inteligência necessária para que não se transforme numa ofensa ainda maior ao cérebro de quem lê. Vai ser meio naquele esquema: TODO O MUNDO vai pensar “ah, bom, então tá. Continuamos sem saber quem é o Homem-Aranha” e vão continuar com suas vidas, como se nada tivesse acontecido.

Esta se parece com uma saída tão furada quanto esta conspiração Skrull que estaria por trás de todos os eventos recentes da Marvel, da “Guerra Secreta” à “Guerra Civil”, passando pelos atos comandados pelos Illuminatti e afins. A idéia seria boa em princípio, mas vai ser o maior chavão do mundo, uma broxada de proporções cósmicas, se descobrimos que o Homem de Ferro é, na verdade, um Skrull – sim, o Tony Stark que fez todas as merdas possíveis para atingir seu objetivo não era um ser humano real, mas um alienígena transmorfo verde e de queixo estranho. Sou muito mais a hipótese de que um herói tão conhecido dos fãs tenha cometido uma burrada deste tamanho. Muito mais verossímil, na medida do possível dentro de um universo com deuses asgardianos descendo a Terra.

Sei que já falei isso por aqui algumas vezes, mas vale reforçar: Marvel, por favor, acabe com a cronologia atual do Aranha e assuma única e exclusivamente a sua versão “ultimate”, escrita pelo Brian Michael Bendis até o final dos tempos. Não consigo enxergar final mais digno. Agora, com licença, que vou ali para o meu canto chorar um pouco.

Em tempo:
Com medo de que pudesse atrapalhar a divulgação do novo filme do personagem, a Warner Bros. cortou o barato da DC e deu sinal vermelho para todas as modificações previstas no Batman. Nada de Bruce Wayne morrer e se tornar um dos Novos Deuses (que invençãozinha miserável de tão ruim, aliás), nada de Jason Todd assumir o capuz do Morcegão. Bruce continuará sendo o Cavaleiro das Trevas, apesar de ganhar uma reformulação do uniforme, cortesia de Alex Ross, e uma série especial escrita por Grant Morrison na qual seu papel no universo DC será redefinido. Mêda.

5 comentários:

The Portal disse...

O duro é que a própria estrutura das HQ's mainstream hoje em dia nunca irá permitir mudanças verdadeiras nas histórias, seja no nosso querido cabeça-de-teia, seja em qualquer dos heróis clássicos do eixo Marvel-DC. Nenhum empresário (que no fim é quem manda em tudo, mesmo as editoras) vai querer descaracterizar os arquétipos que marcaram os personagens, pelo menos não durante muito tempo - e só enquanto a grana estiver em alta por conta disso. A triste ironia é que esses personagens nunca vão evoluir por conta dos próprios traços originais que os tornaram tão famosos...

hiroshi disse...

é... a mudança no Homem-Aranha era legal se fosse definitiva... E eu acho que uma morte de Bruce Wayne, se também definitiva, era muito legal... Mostrava a evolução da história...

Silas Chosen disse...

É como diz o Metallica... É triste, mas é verdade.

danihak disse...

http://www.omelete.com.br/quad/100009557/Saga__One_More_Day__revela_misterio_e_irrita_fas_do_Homem_Aranha.aspx

Nah, a verdade é AINDA pior, El Cid.
Nessas horas eu olho com orgulho pra minha coleção de mangás e vejo que largar essas porras de marvel e dc foi a melhor decisao que eu tomei.

danihak disse...

http://www.omelete.com.br/quad/100009557/Saga__One_More_Day__revela_misterio_e_irrita_fas_do_Homem_Aranha.aspx

Na verdade, isso ainda é melhor que a verdade: na verdade, parece que Mefisto resolve apagar todo o passado do aranha... sabe como é, tarde livre no inferno, nao tem saco pra playstation ou pra sudoku, e resolve apagar mais de uma década de continuidade da vida do aranha....

......pffff