05/03/2008

.: QUADRINHOS .: A Morte do Capitão América

Comprei a histórica edição de número 49 da revista “Os Novos Vingadores”, que traz enfim a HQ pós-Guerra Civil tratando da trágica morte do Capitão América. Triste, viu? De verdade. Pode até parecer exagero melodramático de fã pentelho de gibis. Talvez seja mesmo, ainda mais quando este fã é um leonino duplamente melodramático. Mas juro que me pegou.

É fato que a gente já sabia, desde a publicação deste episódio escrito por Ed Brubaker nos EUA, qual era o destino reservado ao Bandeiroso. Até a imprensa que não costuma dar a mínima para o universo da Nona Arte noticiou o ocorrido, da CNN ao The New York Times. Após o melancólico final da luta com a facção comandada pelo Homem de Ferro, já tinha começado a me dar uma pontada de tristeza no coração por saber o que aconteceria ao outrora franzino Steve Rogers. Mas, como não leio scans e tento ao máximo evitar spoilers, sabia apenas que iam passar fogo no Capitão, mas preferi evitar maiores detalhes com relação ao restante da trama. E...putz.

O esquema armado pelo Caveira Vermelha, dentro da mente do mega-empresário Aleksander Lukin, foi genial. Jogada de mestre, de uma sutileza que chega a ser mortal. É interessante também ver breves lembranças de cada um de seus maiores amigos (Falcão, Soldado “Bucky” Invernal, Sharon Carter), preocupados com seu destino depois do tiro e destacando a importância que o homem por trás do maior símbolo patriótico dos quadrinhos Marvel teve em suas vidas.

Uma história com bastante significado metafórico – afinal, por mais que a Marvel negue, se “Guerra Civil” era descaradamente uma crítica ao chamado Ato Patriótico e à atual situação da paranóia no território estadunidense pós-11 de setembro, a morte do Capitão fala automaticamente do fim da esperança em um país governado por um certo George W.Bush, que teria envolvido o país em uma guerra sem fim, apenas para obter em troca uns tostões da indústria armamentista. Ou é pouco perceber que o Caveira Vermelha só conseguiu derrotar seu maior inimigo quando fundiu-se, de corpo e alma, a um empresário sem escrúpulos do tipo capitalista voraz? Pense nisso. Ou não.

Em tempo: entre neste endereço e preste as últimas homenagens ao finado Capitão Rogers. http://www.hotsitepanini.com.br/amortedalenda/

Nenhum comentário: