07/08/2008

.: QUADRINHOS .: A Força da Vida

Sejamos sinceros: quando um camarada como Alan Moore diz, com todas as letras, que alguém é “o responsável por dar inteligência aos quadrinhos”, é sinal de que o objeto de sua afeição realmente deve ser bom no que faz. Se você, caro delfonauta, nunca ouviu falar no escritor e desenhista estadunidense Will Eisner, é bom saber que está mais do que na hora de começar. Principal responsável pela elevação dos gibis ao status de “arte”, Eisner introduziu a metalinguagem e os recursos cinematográficos nos quadrinhos, indo muito além dos requadros óbvios utilizados pelos quadrinistas da época, brincando (e revolucionando) com letras, balões, onomatopéias e todos os outros elementos gráficos do gênero, permanecendo atual até mesmo para os dias de hoje – e olha que estamos falando de um sujeito que começou a carreira na década de 40, permanecendo em intensa atividade criativa até a sua morte, em 2005. Dava para fazer uns 450 Rob Liefeld com este simpático velhote careca.

::: Leia a resenha completa de "A Força da Vida" no Delfos

Nenhum comentário: