02/12/2008

.: QUADRINHOS .: Um Novo Dia

Então, o Joe Quesada me inventa toda aquela pataquada de Mefisto, de anulação do casamento de Peter e Mary Jane, de “Harry Osborn nunca morreu”, de mudança na cronologia, de identidade secreta continuar secreta, tudo prometendo o retorno do herói aracnídeo às suas raízes, a histórias mais bem-humoradas e leves...e aí, começa “Um Novo Dia”. E era isso que ele prometia? Estas tramas vagabundas com o maior cheiro de Image dos anos 90? Esta penca de novos vilões meia-boca (Sr.Negativo? Fala sério!), quando o Aranha tem uma galeria de antagonistas respeitabilíssima e que poderia muito bem voltar a ser utilizada? Este monte de novos coadjuvantes, deixando personagens adoráveis (e muito mais carismáticos, é bom dizer) de lado? Alguém peça ao Grant Morrison para dar ao Sr.Quesada um workshop sobre como escrever quadrinhos de super-heróis com gostinho retrô mas sem perder a modernidade e muito menos desrespeitar a inteligência do leitor, pela mãe do guarda.

Nenhum comentário: