05/07/2009

.: CINEMA .: A Era do Gelo 3

Na minha jornada de pai nerd, era óbvio que este seria um final de semana reunindo diversão e obrigação na tarefa de conferir "A Era do Gelo 3". Levando minha pequena pelo braço, de pipoca e refrigerante em punho, fomos conferir o novo trabalho do brasileiro Carlos Saldanha. Já comentei por aqui que, das recentes franquias infantis, "Era do Gelo" é aquela da qual menos gosto, com a qual menos tenho identificação - "Madagascar" e "Shrek" conseguiram falar muito mais alto com a criança dentro de mim. Mas devo admitir que o primeiro filme, por exemplo, é uma delícia. O segundo já não me agradou muito. E o terceiro, seguindo uma progressão que eu não gostaria de ter visto acontecer, é sem dúvida nenhuma o mais fraco até então. Uma pena.

Tudo acontece de maneira previsível demais, requentando clichês e estereótipos de tal forma que minha filhota, com seus cinco aninhos, já sabia dizer que rumos a história tomaria. "Papai, agora vai acontecer isso, isso e aquilo", dizia ela, para depois completar "mas tudo bem, porque no final, eu sei que vai acontecer isso, isso e aquilo outro". Bingo. A menina acertava. E não foram poucas as vezes. Tá certo que é um filme infantil, não vou exigir viradas de roteiro dignas de um David Lynch. Mas, peloamordedeus, já ficou mais do que claro que os pequenos detestam ver os seus ágeis cérebros em formação sendo subestimados. O resultado final é bobinho, sem graça, sem sal, facilmente esquecível - e desnecessário. Não é daqueles filmes que eu assistiria novamente, em DVD, sem precisar ter uma criança do lado. Qualquer episódio do "Cocoricó" funciona bem melhor em termos criativos.

Foi bom que tenham finalmente dado mais espaço em tela para as gags visuais do esquilo pré-histórico Scrat? Claro. Mas isso daria, no máximo, um curta-metragem. E estaria mais do que bom. A preguiça Sid continua sendo o mais carismático bichinho da trupe? De longe. Mas suas cenas pouco acrescentam ao que já foi visto nos filmes anteriores. E o neurótico Buck, fuinha (ou algo semelhante) que guia a turma na jornada central, é de longe uma das melhores coisas da película? Sem dúvida. Mas ainda assim, insuficiente para segurar sozinho as quase duas horas de projeção.

E preciso acrescentar: não muda em absolutamente nada ver o filme em 3D. Pouquíssimas são as sequências que fazem uso inteligente e divertido da tecnologia, limitando-se a trazer personagens para primeiro plano ou colocar o cenário em duas ou mais camadas diferentes - como aconteceu com todos os filmes infantis que fui assistir vestindo aqueles óculos coloridos até o momento. Pff. Mais empenho, meu povo, mais empenho.

2 comentários:

Igor José P. G. G. da Silva disse...

Engraçado...mas falando de "Era do Gelo" eu penso exatamente o contrário. Achei o segundo melhor que o primeiro porque não tem o bêbê chato.

Mas cá entre nós:quando você irá ver a pérola "Transformers:A Vingança dos Derrotados" uma das maiores BOMBAS de 2009?

Igor José P. G. G. da Silva disse...

Engraçado...mas falando de "Era do Gelo" eu penso exatamente o contrário. Achei o segundo melhor que o primeiro porque não tem o bêbê chato.

Mas cá entre nós:quando você irá ver a pérola "Transformers:A Vingança dos Derrotados" uma das maiores BOMBAS de 2009?