16/11/2009

.: MÚSICA .: Review Show .: Twisted Sister (São Paulo/SP)

E não é que o Dee Snider estava certo, rapaz? Na coletiva de imprensa brasileira realizada na última sexta-feira, dia 13, o vocalista do Twisted Sister fez questão de deixar claro que, apesar do humor e das maquiagens, o quinteto não é uma “banda comédia” como o Spinal Tap ou o recente Steel Panther - e tampouco pode ser comparado àquela imensa safra de bandas de hair metal que surgiram na Califórnia. “Ao vivo, somos muito melhores do que todos eles”, disse, largando a modéstia do lado de fora. Certíssimo, Mr.Snider. Quando a banda subiu no palco da casa paulistana Via Funchal neste sábado, dia 14, provou que não estava aqui para brincar.

Em sua primeiríssima apresentação no nosso país, a recém-reunida formação original do Twisted Sister se entregou de corpo e alma, conquistando o público presente com carisma, simpatia, bom humor, respeito e uma vitalidade impressionante. Um show de rock divertido e empolgante até dizer chega, exatamente como todos os shows de rock deveriam ser. Uma lição dos veteranos para esfregar na cara de muito moleque que vive sendo saudado como “a mais nova revelação do rock”.

Se os parágrafos acima não foram o suficiente para convencer você, que não foi ao show, de que aconteceu uma apresentação memorável e você simplesmente perdeu porque ficou em casa vendo o “Zorra Total”, tudo bem: a gente conta todos os detalhes. Não diga que eu não avisei.

::: Leia a minha crítica completa no Whiplash!

Foto: Alex Almeida/UOL

Nenhum comentário: