27/01/2010

.: MÚSICA .: Eu e Metallica, Metallica e eu

- O "Black Album" do Metallica foi um dos primeiros CDs que comprei com meu próprio dinheiro - economizado da mesada, é claro.


- Em meus primórdios como jornalista de um site de e-commerce que resolveu investir em seu próprio portal de conteúdo (cujo nome eu não quero dizer, mas é o Submarino), fiquei bem focado na cobertura das palpitantes questões da música digital, ainda emergentes. E por causa disso, cobri bem de perto todo o bafafá envolvendo o Metallica e o Napster. Lembro, inclusive, que peguei a maior bronca da banda e particularmente do Lars Ulrich.

- Nesta mesma época, eu e o amigo-irmão Paulo Martini transformamos as frases da animação do estúdio Camp Chaos sobre o episódio do Metallica em bordões recorrentes para a vida. METALLICA GOOD! NAPSTER BAD!

- Continuo achando o Lars Ulrich um mala sem alça, by the way.

- O James é dos caras mais legais do rock. E o Robert Trujillo é ótimo, desde a época do Suicidal Tendencies. Mas, cá entre nós, o meu integrante favorito da banda sempre foi o Jason Newsted. Cara estiloso e divertidíssimo. Uma pena ele ter saído do Metallica.

- Durante um bom tempo, eu disse aos quatro ventos que preferia o Megadeth ao Metallica. Adoro o Megadeth. Mas gosto mais do Metallica. Eu falava isso só para encher o saco do meu bom amigo Zé, o Mestre.

- Lembro que pedi para o meu pai, de presente de aniversário, os discos Load e Reload. Gosto muito dos dois até hoje, por mais que saiba que eles são motivo de controvérsia entre os fãs. Pra mim, é o Metallica tentando seguir caminhos diferentes. Mas ainda soando bem pesado e consistente.

- Quando o disco St.Anger chegou na redação da AOL, foi o maior tumulto. Eu era o jornalista de música, mas todo mundo queria fazer suas próprias resenhas do álbum. No final, além do meu texto, saíram mais três, escritos por redatores de informática e de notícias. E nenhum dos textos era positivo, detalhe.

- Acho "St.Anger" uma porcaria de disco. Mal-produzido, com a voz de James soando deslocada do restante dos instrumentos e a bateria de Lars parecendo um monte crianças batendo em panelas. Não tem uma única música que se salva.

- Da última vez em que eles marcaram apresentações no Brasil, eu estava com tudo em cima para assistir ao show, cobertura fechada pela AOL e tudo mais. Só não entendia o motivo de terem convidado o Shaman para fazer a abertura. E olha que eu gosto pacas do André Matos! Mas não combinava nada com coisa nenhuma. O cancelamento acabou livrando André e cia. de uma saraivada de vaias.

- Por mais que Death Magnetic seja um bom álbum, Mustaine anda levando a melhor sobre os ex-colegas nos últimos anos - com o ótimo "United Abominations" e o fenomenal "Endgame".

- No entanto, ainda acho o Mustaine um mala tão grande quanto o Lars. É uma tia velha que até hoje não superou a expulsão da banda, causada por sua própria dependência da cachaça. Se liga, bebum.

- Na clássica discussão sobre quem é o maior do metal, Metallica ou Iron Maiden, eu voto no Iron. Desculpaê.

- Agora é preciso dizer: o Iron é maior do que o Metallica no Brasil. Mas o Metallica, em termos globais, é muito maior do que o Iron. Basta ver as vendagens nos rankings da Billboard. Desculpaê - parte 2.

- Minhas cinco músicas preferidas do Metallica: "Metal Militia", "Master of Puppets", "Seek and Destroy", "Of Wolf and Man" e "The Memory Remains". Sim, uma música do "Reload". Qual é o problema? Vai encarar? :-)

Um comentário:

Vitor disse...

caramba, eu acho DM bem melhor do que End Game. Prefiro o James ao Dave cantando.