11/01/2010

.: QUADRINHOS .: Mary Jane Watson, eu não gosto de você.

Pronto. Falei. Para os fãs do Homem-Aranha, parece que virou um tabu falar qualquer coisa a respeito da ruivíssima. Mas eu sempre fiz questão de dizer isso, sem remorsos. Ela não é uma mala do tamanho da Jean Grey - que o Ciclope bem substituiu pela Rainha Branca, numa escolha deveras inteligente. Ainda assim, não é das personagens do universo aracnídeo que mais me agradam. E não estou falando só da versão cinematográfica, que é um dos pontos fracos dos três filmes, na minha nada modesta opinião. Mas também da versão dos gibis.


Segundo a boataria mais recente, parece até que MJ (vivida por uma Kirsten Dunst que não está em seus melhores momentos) estaria fora dos possíveis filmes 5 e 6 do Amigão da Vizinhança, sendo devidamente substituída por Felicia Hardy (vulga Gata Negra). Não acredito muito nesta história, já que a Marvel tem a moçoila como uma das personagens femininas principais não só nas HQs, mas também nos desenhos animados e demais produtos licenciados do Aranha. Seria dar um tiro no pé. Por que não escolheram mesmo a Donna, do "That's 70 Show", para o papel?

Devaneios e fofocas à parte, isso não muda nada. Continuo achando que foram poucos, raríssimos, os autores que souberam desenvolver a personagem como deveriam. E ela acabou tomando rumos meio babacas nos últimos anos. A trama do natural born loser Peter Parker namorando uma supermodelo desejada por homens em todo o mundo poderia render histórias fantásticas nas mãos de um bom roteirista - e com liberdade de criação, leia-se-bem. Ao invés disso, o namorico transformado em casamento não mostrou qualquer sinal de maturidade, como bem sugeriu Mark Millar durante o arco de história "Caído Entre os Mortos" (Marvel Knights). Ali sim ficava visível um casal adulto de verdade, pessoas reais por trás de máscaras de super-heróis.
Tampouco se viu, como era de esperar, a luta da moça para combater aquele eterno fantasma de Gwen Stacy no coração do maridão. De uma hedonista festeira que escondia alguém de bom coração, Mary Jane foi se tornando apenas aquela hedonista festeira. Mais nada. Uma casca sem conteúdo. E olha que nem entrei no mérito de coisas como "o nascimento da filha roubada pelos clones", "a morte aparente em um acidente de avião", "o acordo com o Mefisto" e afins.

Se você me perguntar qual a namorada de Peter Parker da qual mais gosto, acho que ainda fico com a Felicia Hardy, mais até do que a Gwen Stacy. A anti-heroína parece ser mais tridimensional, com sua própria parcela de problemas emocionais para resolver - e quando aparece na vida do Cabeça de Teia, geralmente tumultua tudo e vira o camarada de pernas para o ar. Às vezes até literalmente. Muito mais legal. Também gostei de ver a humanização que vem sofrendo a Betty Brant nos gibis publicados aqui no Brasil (recomendo, por exemplo, a história "Platônico", cujo título é auto-explicativo). Ambas bem mais interessantes do que a ruiva, por mais estonteante que ela seja. E eu ainda sou grande fã das ruivas, vejam bem.

Em tempo: gosto do jeito que Brian Michael Bendis lida com a Mary Jane, ainda em sua versão adolescente, na versão ultimate do Homem-Aranha. É muito mais sutil, delicada e com um vínculo de cumplicidade muito maior entre o casal. Imagino que ele saiba envelhecer a menina do jeito certo. Mas também, pudera: o cara que acertou na hora de escrever o Venom só poderia dar uma bola dentro com seu elenco de coadjuvantes.

* Título do post roubado descaradamente da série de matérias bombásticas que Leandro "Zarko" Fernandes escreveu para o meu, o seu, o nosso site A ARCA, desancando produtos pop como "Harry Potter" e "Star Wars". Beijo, Lê! :-)

3 comentários:

Fabio disse...

Eu concordo. Agora mais pelo fato de que realmente os roteiristas não souberam densenvolver ela e se for realmente levar isso em consideração acho que teríamos que escrever: Homem-Aranha eu não gosto de você! Quando temos alguém que sabe o que faz como o Bendis em Ultimate ela acaba tendo um carisma maior. Agora mil vezes a Mj do que a Gwen Stacy essa era insuportável putz!! E gosto da Felícia mas também é uma que não dava pra manter pra um relacionamento de longa duração.

RicardolbSdA disse...

Uhu, vai millar vai.
Bem dito que poderia ser um personagem melhor aproveitado, na linha ultimate é a mesma caca, acho que nem mesmo o teioso passa por uma fase boa ultimamente (veja brand new days).

Corto Blog Maltese disse...

Sempre tive os mesmos problemas com a eviolução da Mary Jane como personagem. Acho a Gwen muito mais legal.