11/02/2010

.: CINEMA .: Adrenalina 2: Alta Voltagem (DVD)

Foi com o maior prazer que descobri que um dos meus filmes favoritos nos últimos anos, "Adrenalina", ganharia uma continuação. Pura testosterona, uma paulada que não pára do início ao fim, pipoca máxima para curtir sem se precisar se preocupar com o cérebro. Os vídeos promocionais só aumentaram a minha ansiedade pelas loucuras que estavam reservadas para Chev Chelios depois de cair de um helicóptero e dar com a cara no asfalto. Fiquei deveras frustrado ao descobrir que, aqui no Brasil, a película seria lançada diretamente em DVD, uma pena. Então, eis que me deparo com o filme, finalmente, alugado aqui do lado de casa. E aquele que eu julgava que seria um dos melhores filmes do ano acabou sendo apenas "legal". Convenhamos: depois do primeiro "Adrenalina", chamar o segundo apenas de "legal" não é o bastante. Tinha que ser "simplesmente do caralho" ou "fudidamente fudido", com o perdão do palavreado. Mas tinha que ser assim.

O filme é bacana, não me entenda mal. Eu realmente gostei. Mas alguma coisa deu errado no meio do caminho. Mark Neveldine e Brian Taylor, a dupla de diretores, optaram por uma linguagem que remete imediatamente aos videogames, com seus chefes de fase, saving points e recuperadores de life (a metáfora do coração, notou?). Acertaram no alvo. Mas erraram, por exemplo, em diminuir o personagem de Jason Statham, segredo absoluto da produção anterior. Faltam oportunidades para que Chev se mostre ainda mais poderoso e imbatível, envolvendo-se em mais saltos surreais e tiroteios improváveis. E sobram sequências grandes demais focadas em alguns coadjuvantes que nem têm tanta graça assim, como o andrógino Venus. Nestas partes, o filme cai demais, fica meio bobinho até. Esta era a oportunidade perfeita para Statham surtar, quebrar tudo de vez. E ele quebra bem menos do que eu imaginava. Em um dado momento, arrisco dizer até que Neveldine e Taylor exageram no tom de paródia - porque, enquanto o primeiro era um filme de ação com muito humor (negro, principalmente), este por vezes se parece com um filme de humor com muita ação. "Adrenalina 2" fica muito longe do primeiro e mesmo de outro exemplar emblemático do gênero, o espetacular "Mandando Bala".

Queremos o exagero, o surreal. Mas o surreal estiloso, cool, do tipo "eu queria ser macho como este cara". Porque é preciso ser muito, mas muito fodão, para se acordado depois de uma queda de helicóptero, receber um coração artificial e fugir antes de ter o restante dos órgãos transplantados - causando uma verdadeira guerra urbana entre a máfia chinesa e gangues de latinos e afro-americanos no meio do caminho, preocupando-se ainda em carregar eletricamente seu coração das maneiras mais bizarras. E, por vezes, faltam as provas de Chelios é assim tão fodão. No primeiro filme, dá pra dizer isso sem pestanejar. Mas no segundo, ele parece ter perdido um pouco de seu mojo.

Destaque para as participações especiais de Chester Bennington, vocalista do Linkin Park; de Ron Jeremy, lenda-viva do cinema pornô; de Geri Halliwell, ex-Spice Girls, como a mãe de Chev; e de David Carradine - que, na mais suprema ironia, vive um velhote japonês com um enorme bigode que lembra os mestres orientais que teriam ensinado seu personagem na série"Kung Fu".

ADRENALINA 2: ALTA VOLTAGEM (Crank 2: High Voltage, 2009)
Direção: Mark Neveldine e Brian TaylorElenco: Jason Statham, Amy Smart, Dwight Yoakam, Efren Ramirez, Clifton Collins Jr., Bai Ling, Corey Haim

Duração: 96 min.

2 comentários:

xDanix disse...

Eu curti o 2 tbém, tanto quanto o primeiro.
E gostei deste cartaz que vc postou, ficou animal. Não tinha visto ainda.

Anônimo disse...

Meu camarada, outra participação especial no filme Adrenalina 2: Keith Jardine - astro do UFC Ultimate Fighting (dica: no final do filme qdo Chev estoura o transformador na rua para nova sobrevida).

Um abraço
Marcel Ramos
Rio de Janeiro