01/02/2010

.: MÚSICA .: Review Show .: Metallica (São Paulo/SP, 30/01/2010)

O ótimo André Forastieri, um dos jornalistas brasileiros que mais admiro (e indico) na área cultural brasileira, escreveu dia destes em seu blog um post listando 32 razões pelas quais ele acha o Metalica uma banda “chata”. Posso não concordar com 99% do que ele escreveu – mas é inegável que, além de ser um mestre da ironia e do sarcasmo, Forastieri sabe criar polêmica, dando aquelas boas cutucadas para levantar a poeira no marasmo internético. E preciso dizer ainda que uma das coisas que Forastieri disse naquele texto faz todo o sentido: o Metallica é uma banda que fala com o “moleque espinhudo, inseguro e rancoroso que existe dentro de todos nós”.

Na primeira apresentação do quarteto em São Paulo, como parte da turnê do disco “Death Magnetic”, eles fizeram milhares de tiozinhos de trinta, quarenta e até cinqüenta anos se tornarem adolescentes novamente, relembrando as camisetas velhas e os cabelos compridos de outrora, sempre ao lado daquele grupo de amigos fiel e com uma cerveja na mão. Foi um espetáculo de ferocidade e fúria, um exorcismo metálico público, uma catarse de pura gritaria e bate-cabeça que teve como ápice a música-título de “Master of Puppets”, o disco mais importante da discografia do grupo e um dos pilares fundamentais do heavy metal. No estádio do Morumbi, uma banda que passou por muitos anos tumultuados e turbulentos lavou a alma diante de mais de 60 mil brasileiros – recompensados pela ausência de 11 anos com um show inesquecível.

::: Leia a minha crítica completa no site Whiplash!

Um comentário:

leonardo disse...

Será que o Forastieri realmente acha aquilo...ou é só para fazer tipo?

Deve ser legal bolar uma entrevista com o polemico , não acha?