27/03/2010

.: MÚSICA .: Renato Russo

Olha só, hoje o cantor e compositor brasileiro Renato Russo completaria 50 anos, trazendo à tona uma série de homenagens ao legado de sua obra, em especial àquele à frente da Legião Urbana. Tá bom, não vou aqui dizer que o cara não era talentoso. Isso ele era, seria até leviano afirmar algo do contrário. Mas eu nunca gostei da Legião, bem cá entre nós. A única música dos caras que toca no meu MP3 Player é "Eduardo e Mônica", que acho graciosa. E olhe lá.


Acho a maior balela dizer que a Legião Urbana é uma banda primordial para o rock brasileiro. E tenho total direito de ter esta opinião, assim como já disse com propriedade por aqui que vejo outras bandas como muito mais interessantes dentro do grunge do que o Nirvana. Mas como sei que Kurt Cobain tem fãs tão xiitas quanto os tem Renato Russo, não custa nada avisar. É minha opinião. É o meu blog. Blog pessoal e 100% opinativo. Se você não concorda, paciência. Agora, não me venha pentelhar dizendo, como já ouvi em outras ocasiões, que Legião Urbana é uma unanimidade para quem curte rock nacional. É nada.

Em termos de letras, sejam elas românticas ou explosivamente políticas, sempre achei as do Cazuza muito melhor acabadas. O Legião tinha sempre aquele quêzinho meio depressivo que eu achava um saco. Ainda acho, aliás. "Ah, a vida é uma bosta, estou muito triste, blábláblá". Vai chorar pra lá, pelamãedoguarda.

Bandas como Camisa de Vênus, Titãs e Paralamas do Sucesso (da qual eu nem sou tão fã, é bom destacar) são, pra mim, muito mais relevantes em termos históricos. E nem vou entrar no mérito do Sepultura e do Ratos de Porão, que até hoje influenciam bandas do underground de todas as partes do país. Se nós estivermos falando do Aborto Elétrico, aquele grupo pré-Legião que chacoalhou a cena em Brasília, pode até ser. Vá lá. Mas a Legião Urbana nunca foi um Aborto Elétrico melhorado, como alguns querem pensar. Na verdade, é um Aborto Elétrico beeeeem piorado, sem aquela pegada rock, sem culhões. Até quando você quer ser deprê, precisa ter atitude, sabe? Legião é um Aborto Elétrico sussurado, metido a intelectual, caído, quase broxa.

Mas o caso é virou uma coisa quase automática as pessoas ficarem repetindo a esmo que Renato Russo é o "poeta do rock brazuca", sem nem pensar no peso da expressão. São as mesmas pessoas que decoraram a letra de "Faroeste Caboclo" e sabem palavra por palavra, por mais que não entendam direito o que ela quer dizer.

Desculpaê, Renatão. Você pode ter morrido, coisa e tal. Meus pêsames tardios à sua família. Mas, como músico, você não me faz a menor falta.

4 comentários:

Regiane disse...

Concordo plenamente! Não sou só eu quem não gosta!

Gregory disse...

Concordo parcialmente, mas te parabenizo pela crítica. Ótimo Blog, um dos meus favoritos dos meus "Favoritos" :)

Igor José P.G.G. da Silva disse...

Olha, eu vou ter também concordo, e até digo que as músicas me fazem dormir um pouco...

Anônimo disse...

Opinião é que nem bunda: todo mundo tem, grande El Cid. Se colocou a sua que é contrária a imensa maioria, é porque queria polemizar, então tem que aguentar o tranco (e sei que você aguenta depois de defender o HA 3..rsrsrs). Renato Russo era um talento, elevou a Legião ao topo das paradas musicais e a condição de banda mais importante dos anos 80. As demais que você citou não conseguiram chegar ao mesmo patamar, nem mesmo Cazuza. Mas como todo talento, Renato não era normal, e perdeu a mão nos discos seguintes. Quando ele morreu a Legião já não tinha o mesmo brilho musical, mas ele deixou sua marca no rock nacional, sem dúvida.