18/11/2010

.: CINEMA .: No dia mais claro...

Às vezes, os fãs conseguem me tirar do sério. Fãs de qualquer coisa. Basta que eles sejam daquele tipo purista pentelho. Daqueles apegados a detalhes minúsculos, que não dão a menor chance para um filme e/ou série e/ou HQ, que saem tirando as próprias conclusões a torto e a direito, que não têm o mínimo senso de humor, que perderam a habilidade de se divertir pelo simples prazer de se divertir. Nossa, que coisa mais chata. E olha que eu também sou fã. Vejam esta semana, por exemplo, os fãs de quadrinhos. As reações ao preview de 30 segundos do filme do “Lanterna Verde” exibido na TV americana foram insuportáveis. “Ah, mas pra que todas estas piadinhas? É uma comédia ou um filme de super-herói?”.

Aí, saiu o trailer completo, oficial, que você pode – e deve – ver abaixo. E as críticas só aumentaram. Veja, acho que todo mundo tem direito a ter a sua opinião. Eu gostei do trailer, tudo bem, você tem todo direito de não gostar. Mas eu também tenho todo o direito de achar a sua opinião uma babaquice. Quem foi que disse que as histórias do Lanterna não podem ter toques de humor? Desde quando ele virou o Batman? Alguém aí leu “Amanhecer Esmeralda”? Antes de tornar-se membro da Tropa, Hal Jordan era um eterno adolescente, um moleque sem qualquer apego à responsabilidade que só queria curtir a vida. E isso está retratado com exatidão no trailer. Nada mais justo do que deixar o Ryan Reynolds liberar o seu lado mais filme teen. Mas a seriedade está nítida no encontro dele com Abin Sur, nas conversas sobre o único sentimento que um Lanterna jamais pode ter (o medo).

Não fiquei com medo, por falar nisso. Bem pelo contrário. Fiquei empolgadíssimo, isso sim. Posso estar enganado, redondamente enganado. Mas isso eu só vou saber em junho do ano que vem.



“Lanterna Verde” tem direção de Martin Campbell (“Cassino Royale”) e traz no elenco, além de Reynolds, nomes como Mark Strong, Tim Robbins, Peter Sarsgaard, Blake Lively e Angela Bassett, entre outros.

Nenhum comentário: