13/11/2010

.: QUADRINHOS .: As pernocas do Laerte

Dia destes, um amigo comentou comigo que achou que estava demorando até para que eu escrevesse algo aqui no blog sobre esta fase crossdresser do Laerte, indiscutivelmente um dos maiores nomes dos quadrinhos brasileiros. Não o tinha feito ainda por um simples motivo: estava meio de bode com relação ao tipo de comentário de fãs babacas que andei vendo e ouvindo por aí, pessoalmente e na web, a este respeito. Fiquei imaginando que seria até meio mal-educado nas respostas aos comentários similares que alguém por ventura viesse a deixar por aqui. Mas resolvi postar meu desabafo, afinal de contas. E seja o que Odin quiser.

Tudo bem, o caso é o seguinte: Laerte passou a se apresentar, em suas aparições públicas, com roupas femininas. Saias, meias-calças, saltos altos, brincos, unhas pintadas. É o que se chama tradicionalmente de crossdresser - um homem, geralmente heterossexual, que gosta de usar vestimentas de mulher. O diretor de cinema Ed Wood, mestre dos filmes trash como "Plan 9 From Outer Space", é outro exemplo célebre desta prática. Eu poderia dizer que Laerte tem uma namorada, que existe uma diferença gritante entre ser crossdresser e travesti, que ele não é necessariamente gay. Eu poderia dizer ainda que esta postura é nitidamente um ato de protesto do cara, totalmente alinhada com as últimas obras que ele publica - em especial, as tirinhas do Hugo, que também deixou aflorar seu lado feminino. Mas, sinceramente, existe esta necessidade? Eu preciso defender a sexualidade do cara? Por quê?

O Laerte assumiu seu lado crossdresser. Mas poderia ter se assumido homossexual. Qual o problema? Isso faria dele um artista menos relevante ou talentoso? Isso justifica ficar dizendo "putz, não creio, o Laerte virou uma bichona" ou "perdi totalmente o respeito por ele" - mencionando apenas duas frases que li em fóruns de sites especializados? Ele poderia ter se assumido metaleiro, punk, fã do Restart, vegetariano, lésbica, garoto de programa, feirante, vestibulando, repórter do programa do Datena, fã da Hebe. Nada disso importa. Nada disso muda o fato de que ele é um dos meus ídolos. Tudo isso são escolhas pessoais, às quais o Laerte tem direito com qualquer um de nós. Isso não apaga a constatação de que a recente virada no tom dos seus trabalhos (que já eram fantásticos, leia-se bem), assumindo uma conotação mais filosófica, o tornou ainda mais genial, mais relevante, mais intenso, mais moderno, mais reflexivo. Esteja ele usando roupa de homem, de mulher ou um cosplay de Sailor Moon.

Se você deixou de curtir o trabalho do Laerte só porque ele passou a vestir-se desta forma, perdão: é sinal de que a sua personalidade é tão rasa quanto os gibis do Rob Liefeld - que é o que você deveria estar lendo, aliás. E um conselho: quem se deixa chocar de tal forma por uma expressão de personalidade ligada à sexualidade, deveria ficar de olho na própria sexualidade. Porque aí deve ter algum problema. Saia do armário, querido, vai te fazer bem.

4 comentários:

Ale Jung disse...

Thiago,

De tudo o que eu li sobre o "caso", teu posto foi - sem dúvidas - o mais lúcido e coerente!

Concordo contigo que é ridículo misturar a qualidade (indiscutível) da obra do cara, com a postura dele, seja qual for.

Além disso, tenho para mim que ele está tirando sarro de todo mundo e tem neguinho levando a sério.

Tsk tsk =)

Abração

Durães74 disse...

Continuo curtindo o trabalho do Laerte,mas não vou ser hipocrita...fiquei decepcionado,esta ridiculo,parece uma tia velha...tenho 36 anos e colecionava geraldão,piratas do tiete,enfim a vida é dele e seria estupido deixar de gostar do seu trabalho por conta disto...e uma recado para o colega que acha que ele esta tirando uma onda...não se iluda e nem queira deixar de ver a verdade...Laerte é gilete

Drica Menezes disse...

Adorei o post super bem escrito e coerente!

Nicolas disse...

isso me lembra uma música... "ele é "crossdresser" mas é meu amigo..."kkkkk
brincadeiras a parte; pô, ninguem paga as contas dele, num deve nada a ninguem... deixa o cara ser feliz pô... não só continuo fã dele como tb acho foda pra caralho a atitude dele.
alias... o que as pessoas tem contra as tias velhas?