27/12/2010

.: QUADRINHOS .: Você tem medo de quê?

Medo. Este será o mote da próxima grande saga da Marvel Comics, batizada de “Fear itself” e anunciada na última semana pela editora durante uma coletiva de imprensa realizada online. A Casa das Idéias vinha liberando alguns daqueles teasers típicos da era Joe Quesada, recebidos com pouco entusiasmo pela imprensa especializada depois das últimas bobagens (leia-se “X-Men encontram vampiros”). A saga, que vai reunir os principais heróis e vilões da editora, deve ter relação com “crise, déspotas e a situação mundial” – levando a crer que, assim como aconteceu com “Guerra Civil”, em “Fear itself” teremos paralelos com acontecimentos político-econômicos que estampam as manchetes dos jornais do mundo real. A definição veio em uma frase: “Um segredo será revelado e tudo mudará para sempre”.

Depois de um prólogo estrelado pelo Capitão América e os Invasores, com roteiro de Ed Brubaker e arte de Scot Eaton, inicia-se em abril a minissérie principal em sete edições, escrita por Matt Fraction e desenhos de Stuart Immonen. Mas é claro que haverá ramificações em todos os seus títulos, como já vem acontecendo em eventos como “Guerra Civil”, “Invasão Secreta”, “Reinado Sombrio” e na ainda inédita no Brasil “The Siege” (O Cerco). Por falar nestas últimas sagas, aliás, tudo indica que “Fear itself” está diretamente ligada a elas – e que os leitores mais atentos vão identificar as conexões à medida que forem degustando a série.

De primeira, bate uma dúvida: ué, ao final de “The Siege”, com o início da atual “The Heroic Age”, a própria Marvel anunciou que chegava ao fim o período de trevas que se abateu sobre as histórias de seus heróis na última década. Os próprios editores têm a desculpa na ponta da língua: “Nossos personagens sempre combateram as trevas ao nosso redor. As ameaças que eles enfrentam nunca foram fáceis, mas desta vez eles terão um oponente admirável. Este não será um retorno à escuridão e morte, mas certamente teremos um pouco dos dois”. Sei.

A promessa é que aconteçam alianças e pactos inusitados, em situações nas quais o medo supera qualquer nível. Aliás, o medo fará com quem a linha entre heroísmo e vilania possa ser ultrapassada. E o grande vilão a ser combatido será o próprio medo (fear itself, entendeu?), na figura de algo ainda descrito de maneira obscura como o “deus do medo”. Uma dica: quem acompanha a saga “Reinado Sombrio”, publicada atualmente no Brasil, deve saber que, no título “Guerreiros Secretos”, existe um jovem personagem chamado Fobos, filho do Deus da Guerra, Ares. Será que o moleque tem alguma relação com o babado futuro? Aguardem os próximos capítulos.

Nenhum comentário: