24/01/2011

.: TELEVISÃO .: Novidades na telinha

“A saga de um homem que perdeu tudo e decide buscar justiça como um herói de histórias em quadrinhos”. Fala sério: basta ler esta simples descrição de uma série de TV para deixar qualquer fã de gibis minimamente curioso para assistir ao resultado final, não? Eis, então, a sua chance – afinal, estamos falando de THE CAPE, seriado que o Universal Channel estreia em território brasileiro no dia 11 de fevereiro – com exibição todas as sextas, sempre às 21h. Criação de Tom Wheeler ("Empire") com produção executiva de Gail Berman e Lloyd Braun ("Mercy"), John Wirth ("Terminator: The Sarah Connor Chronicles") e Gene Stein ("Accidentally on Purpose"), a série “The Cape” gira em torno da história de Vince Faraday (David Lyons), policial honesto que trabalha em uma corporação policial corrupta e se vê acusado de assassinato. Vince acaba caindo em uma emboscada e é considerado morto. Forçado a se esconder, ele deixa para trás sua mulher Dana (Jennifer Ferrin, "Life on Mars") e o filho Trip (Ryan Wynott, "Flash Forward").

Movido pelo desejo de rever sua família e lutar contra a onda de crimes que se instalou em Palm City, Vince Faraday torna-se "The Cape" - o super herói favorito de seu filho. Para ajudá-lo, Vince conta com Max Milani (Keith David), líder de uma gangue de ladrões de banco, formada por artistas de circo. Max se torna o mentor de Vince e o treina para ser The Cape. Outra aliada do herói é a bela Orwell (Summer Glau), blogueira que declara guerra ao crime e à corrupção em Palm City, ajudando The Cape em suas missões. Depois do fracasso de “Heroes” e da simpática “No Ordinary Family”, vamos ver o que nos reserva “The Cape”. Se você já baixou episódios e tem sua opinião formada, faça o favor de ficar em silêncio e deixar que eu forme a minha. Conversamos depois. =D

Nerdices por nerdices, os criadores de uma das minhas séries favoritas (“Will & Grace”) foram buscar no Twitter a inspiração para sua nova produção. Estrelada pelo vencedor do Emmy e eterno Capitão Kirk, William Shatner, a produção conta a história real de Justin Halpern, um rapaz que se vê forçado a voltar para a casa do pai, depois de cravar um ponto final no namoro, perder o emprego e se afundar em dívidas. Dessa situação de semi-desolação, nasceu o perfil @shitmydadsays, onde o jovem de 28 anos registra, como num diário, os comentários do seu pai, Sam - um senhor de 72 anos, que tem uma opinião formada sobre tudo e faz questão de expressá-la sempre. Hoje, essa conta de Twitter registra mais de 1,7 milhões de seguidores. Além disso, deu nome a um blog e é título de um dos livros mais vendidos nos EUA, segundo o New York Times. Halpern não poderia ter mais sorte com as merdas que seu pai fala. A Warner Channel passa a exibir $#*! MY DAD SAYS todas as segundas, às 21h, a partir do dia 7 de fevereiro.

Na série, Shatner volta a desfilar sua canastrice ao interpretar Ed, um homem de 72 anos. Médico aposentado, casado três vezes, Ed participou de três guerras e, nitidamente, é daquelas pessoas que não suportam perder tempo. Seu passado como militar é responsável por diversos comportamentos extremistas. Por exemplo, se alguém estiver dentro de sua propriedade depois das nove da noite sem ter avisado antes, é muito provável que esta pessoa ganhe boas-vindas ao som de uma espingarda. Ed tem um filho, Henry (Ryan Devlin), fruto de seu último casamento. Henry tem sido um bom filho e faz as coisas do jeito que devem ser feitas, mas a crise econômica o afetou tanto que teve que recorrer à última pessoa que queria: seu pai. O grande problema é que Ed tem a filosofia de nunca ajudar e nem prestar favores, por menores que sejam, aos seus filhos - tudo em nome de uma educação firme) Henry busca aceitação e tenta suavizar o coração de Ed, que aos poucos começa a perceber que nunca é tarde para se transformar em um pai carinhoso, mesmo que isso implique permitir que seu filho desempregado fique em casa sem fazer nada. O conceito é ótimo, não? Afinal, todo mundo sabe bem as merdas que o próprio pai fala. =D

Nenhum comentário: