01/02/2011

.: QUADRINHOS .: Cada mergulho é um flash!

“Everything will change in a flash”. Este é o mote de “Flashpoint”, a mais nova mega-saga da DC Comics, que promete chacoalhar o universo de super-heróis da editora e todo aquele blá-blá-blá que quem lê os gibis da editora e também da concorrente Marvel já sabe muito bem. A saga, cujo prelúdio chega esta semana às bancas dos EUA na revista “Flash nº9”, vai interligar diversos títulos da editora e até mesmo modificar a estrutura de suas publicações durante alguns meses. Com foco no nosso simpático velocista escarlate, seremos apresentados a um misterioso sujeito chamado Hot Pursuit, que também usa a Força da Aceleração.

O conceito é o seguinte: algum acontecimento bizarro que só a física particular do mundo dos gibis explica faz o fluxo espaço-tempo dar uma pirada, permitindo que diferentes realidades paralelas acabem se encontrando, gerando novos títulos com versões alternativas dos personagens que conhecemos. Nada mais comum para qualquer cientista de Metrópolis. O Aquaman, por exemplo, continua como o imperador da Atlântida, enquanto Abin Sur é o Lanterna Verde que toma conta do quadrante da Terra – já que Hal Jordan jamais chega a receber o anel do poder. Parece interessante dar suficiente liberdade criativa aos escritores para trabalharem com certos personagens livres das amarras cronológicas de anos e anos.

Como o Flash pode correr por diferentes linhas temporais, fica clara a importância dele na parada. Esperamos apenas que o coitado do Barry Allen não tenha o mesmo destino que lhe foi reservado em “Crise nas Infinitas Terras”.

Engraçado perceber que, nos últimos anos, enquanto a Marvel foca seus eventos em eventos mais, digamos, “reais” (como “Guerra Civil”, que tem relação direta com a situação política dos EUA), a DC prefere envolver seus personagens em grandiosos acontecimentos cósmicos e temporais. Hum. Isso diz algo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não me diga que a referência deste título é a que estou pensando...

Thiago "El Cid" Cardim disse...

Sim, a referência é um bordão da novela "O Clone". E daí? =D