01/02/2011

.: QUADRINHOS .: Central de Spoilers

Se você não quer saber de eventos futuros relativos aos gibis da Marvel, sugerimos que você pule este post imediatamente. Não me venha reclamar depois.

Contagem regressiva começando:

3...

2...

1...

Ok, valendo.

Na edição 587 da revista “Fantastic Four”, publicada recentemente nos EUA, finalmente chega ao fim a saga “Three”, conduzida pelo eficiente roteirista Jonathan Hickman. E descobrimos qual dos membros do grupo é a vítima da vez: Johnny Storm. Sim, o Tocha Humana morreu. Mas nós sabemos bem o que isso significa quando se trata de gibis de super-heróis – quer dizer que ele pode voltar da terra dos pés juntos o quanto antes. O próprio Joe Quesada, chief creative officer (uia!) da Casa dos Idéias, admite que o luto de Reed, Susan e Ben pode ser passageiro. “Se o Tocha Humana vai ou não voltar é uma questão que será respondida no momento certo. Embora eu nunca renegue a ideia de que um personagem pode voltar da morte, já que é algo tão próprio dos quadrinhos. Não vou dizer se ele vai voltar, ou quando vai voltar e, se isso acontecer, como, mas garanto que vai ser muito interessante e diferente do que todo mundo espera”. Claro, claro. Olha, o Hickman é um bom escritor. Quem acompanha as histórias do cara à frente da família de heróis mais famosa das HQs, diz que ele vem fazendo um excelente trabalho. Mas, a não ser que ele tenha preparado um desfecho simplesmente brilhante, ainda considero uma saída fácil demais recorrer ao expediente padrão do “morre, ressuscita”. Me soa preguiçoso.

Expediente padrão, por sinal, foi o que a editora encontrou para o novo hospedeiro do simbionte alienígena do Venom – que, a partir de agora, será uma espécie de agente secreto do governo ou algo assim, em um novo título a ser lançado em março. Nada de visual monstruoso, dentes enormes e uma língua babona. Um soldado com a maior cara de Deadpool. E para tal, foi convocado...Flash Thompson. Sim, o camarada de Peter Parker que batia nele na escola, que depois se tornou um grande amigo e que acabou ficando paralítico durante uma missão do exército. Uma saída das mais óbvias. E que me leva ao motivo da cisão da dupla Stan Lee-Steve Ditko: a briga entre os dois aconteceu porque Ditko achava que o Duende Verde não precisava ser o pai do melhor amigo de Peter. Que isso seria uma solução rocambolesca, típica de folhetins, que teria mais impacto se fosse uma pessoa comum, sem motivos para odiar Parker. Neste ponto, eu concordo: todos, mas todos os coadjuvantes do Homem-Aranha têm que necessariamente ser aspirantes a futuros seres superpoderosos, sejam eles heróis ou vilões? Saco. Quanto tempo este novo gibi vai durar? Acredito que o mesmo que duraram todas as outras revistas-solo do Venom.

Nenhum comentário: