02/07/2011

.: CINEMA .: E a crítica especializada detona "Lanterna Verde"...

"Hal afirma que o único inimigo de um Lanterna é o medo. Pensar em uma seqüência para este produto hollywoodiano vergonhoso e sem alma me apavora profundamente", diz Peter Travers, crítico da revista Rolling Stone, sobre o filme do "Lanterna Verde" - adaptação dos quadrinhos que só chega aqui em agosto, mas que já deu as caras nas telonas gringas.


Travers não foi o único. A maior parte da imprensa simplesmente detonou o filme, indo do "ruim" do The New York Times ao "espetáculo sem vida" do USA Today, passando diretamente pelo "genérico" da revista Time e pela divertida comparação com o filme oitentista do "Flash Gordon", feita pelo Wall Street Journal.

Eu não sou do tipo que se pauta pelo que a crítica diz - ainda mais por ser, à minha própria maneira, também um crítico. E inclui aí também alguns críticos que admiro muito e outros que são meus amigos pessoais. Admito que este tipo de comentário me deixa com o pé atrás, porque os últimos materiais promocionais do filme, em especial os trailers mais recentes, tinham me enchido de esperança, cheguei até a postar isso por aqui. Mas ainda mantenho a esperança de que este seja, minimamente, um filme divertido. Lembro claramente do que aconteceu com "Alexandre", o épico histórico de Oliver Stone e estrelado por Colin Farrell. A imprensa internacional comeu o filme com farinha, a imprensa nacional mastigou e cuspiu o dito cujo...mas eu adorei. E este foi justamente o tema principal da minha crítica para o finado site A ARCA.

Prefiro esperar antes de opinar. Pode ser que eu me junte ao coral dos que detonaram o "Lanterna Verde"? Sim. Mas também pode ser que eu seja uma das poucas vozes dissonantes. Vejamos.

Enquanto isso, deixo por aqui os comentários do amigo Fábio Barreto, residente de Los Angeles que teve a oportunidade de conferir a película:

"Lanterna Verde não é ruim, é simplesmente sem graça e não honra as boas adaptações de quadrinhos. Quando o comercial fala mais alto que a criação, dá nisso e a Warner Bros. precisa notar quem nem tudo que sai das HQs é Batman!(...) É impossível levar a história a sério, quase nada funciona e a maioria dos jogos de sucesso da atualidade tem roteiro muito mais interessante que Lanterna Verde. (...) Entretanto, não se trata de algo vergonhoso. É apenas algo que poderia ter sido muito mais interessante e efetivo. A sensação é de bem, bem, tipo assim… né? (...) Foram US$ 300 milhões de investimento para um resultado fraco, pensando no personagem e em seus fãs, valeria a pena deixar Hal Jordan na gaveta por mais alguns anos, até o custo baixar a e tecnologia melhorar" (leia a íntegra do texto aqui)

Nenhum comentário: