05/09/2011

.: 5 PERGUNTAS PARA... O Cara dos Quadrinhos (Cláudio Ellovitch)

1) Estamos num mundo no qual se discute qual será o futuro das HQs - dada a proliferação dos meios digitais em detrimento das revistas de papel, a pirataria em forma de scans e etc. Diante deste cenário, o que foi que deu na sua cabeça para investir na abertura de uma loja de quadrinhos? (rs)
Eu acredito muito na idéia da loja de HQs no mundo atual por dois motivos. O primeiro é que mesmo com todos os avanços da tecnologia, os meios digitais não se aperfeiçoaram a ponto de tornar a leitura em papel obsoleta: telas de computador e também as tablets (que prometeram revolucionar a leitura) são meios que emitem luz o que acaba por cansar os olhos a médio prazo enquanto o papel, que reflete a luz, permite uma leitura prolongada por horas... Mas concordo que isso é controverso. O segundo e o mais importante motivo, é que colecionadores colecionam. Você ter um arquivo digital de uma história em quadrinhos é como você ter uma foto de uma miniatura (para comparar com outro tipo de coleção), não satisfaz quem realmente gosta de ter as edições em casa e mostrá-las (com todo cuidado do mundo) para quem vem visitar.Por mais que isso pareça estranho, não sou contra os scans. Eles servem para que quem está curioso conhecer trabalhos específicos e isso faz com que a pessoa que gostou da HQ (seja pelo roteiro, pela arte ou ambos) venha a procurar as edições em papel. E se ao baixar o arquivo, ele(a) percebeu que não é o tipo de material que gosta/procura ótimo também. Não gosto de vender algo que a pessoa vai se arrepender de ter comprado.

2) Ser dono de uma loja de quadrinhos faz de você, obrigatoriamente, um viciado em gibis? Se sim, o que você anda lendo, o que você recomenda - e, é claro, que título você coleciona?
Eu acho que sim. Para você administrar e atender em uma loja de quadrinhos você precisa entender absurdamente bem do assunto. Se não conhecer como vai comprar as edições certas para revender? Como vai conseguir responder as perguntas (capciosas) dos aficionados que freqüentam a loja?Eu sou viciado em HQs não só porque eu as compro desde que consigo me lembrar, mas porque eu também produzo conteúdo: o meu curta de animação “Undertaker” foi exibido no Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) em 2009, também participou de uma mostra de curtas baseados em HQs promovida pela Poiesis aqui em SP (além de outros festivais de cinema). Eu trabalhei muito em uma adaptação cinematográfica do personagem brasileiro “O Morto do Pântano” que acabou não saindo do papel por falta de apoio financeiro (talvez algum dia eu ainda consiga produzir). E no momento estou trabalhando em uma Graphic Novel original que será divida em 3 partes e se chama “Estranhos Palácios”.Isso me leva ao que leio, coleciono e recomendo atualmente. Nos últimos 10 anos da minha vida estive muito envolvido com o gênero de terror, por isso na minha coleção particular eu tenho muitos exemplares dos clássicos da Eerie, Creepy, Mestres do Terror, Calafrio, etc. Além de histórias de personagens conhecidos que estão dentro do gênero (Batman em Asilo Arkham, por exemplo). Mais recentemente ainda (também por causa de Estanhos Palácios) estou apreciando cada vez mais os quadrinhos europeus. As histórias escritas por Alejandro Jodorowsky me levaram ao universo de Moebius, Manara, Gimenez e companhia. Eu recomendo as revistas “Heavy Metal” (Metal Hurlant) para quem está na casa dos 30 como eu.

3) Uma loja de quadrinhos em plena Galeria do Rock faz sentido (rs)? Você acha que a galera do metal, os cabeludos de preto que são público predominante no local, também curte gibis? Ou então todo fã de HQs tem um pouco de roqueiro? São públicos complementares?
Quem freqüenta a Galeria sabe que faz muitos anos que o foco aqui passou de CDs para os mais diversos produtos periféricos ao mundo do rock e da cultura pop e alternativa. Camisetas, acessórios, posters e miniaturas fazem sucesso não só com imagens das bandas e artistas do rock, mas também com os personagens de filmes, séries e HQs. O terror também é muito procurado pelo pessoal do Heavy Metal. O que o rock e as HQs têm mais em comum é o público com a imaginação ativa. Meu tipo de gente. E se você entrar na loja “O Cara dos Quadrinhos” e ouvir um som pesado tocando, não é porque a gente está tentando se adaptar ao ambiente. É porque é só isso que eu escuto em casa, no carro e agora na loja também.

4) Que tipo de produto o fanático por HQs vai encontrar na sua loja e que dificilmente acharia em outra loja do gênero? Você vai ter um foco em raridades?
Meu foco é em raridades sim. Raridades em vários sentidos. Você pode não considerar a mini-série “Marvels” uma raridade porque você tem em casa, mas verifica como está o estado de conservação dela, ou procure para comprar com todos os 4 exemplares hoje dia. Trabalhamos com séries e mini-séries completas (inclusive de mangás) em estado de conservação impecável. Tendo dito isto, trabalhamos também com edições raríssimas publicadas nas décadas de 50, 60 e 70. Temos HQs importadas que nunca foram publicadas no Brasil e publicações independentes que não são encontradas em livrarias ou mesmo em outras lojas de quadrinhos. Nossas camisetas e miniaturas também são diferenciadas, se não forem exclusivas.

5) Embora a inspiração do nome da loja venha do Comic Book Guy [Os Simpsons], sabemos que você se parece pouco com ele. Mas você consegue enxergar alguma semelhança - não apenas física, é claro - sua com algum personagem de quadrinhos?
Com o “Comic Book Guy” espero que não me pareça nada... Fisicamente eu sei que sou diferente e sempre tento atender os clientes da forma oposta que ele faz. Minha mulher diz que eu pareço o Wolverine do cinema (Hugh Jackman), mas ela é apaixonada por mim então não conta. Eu gostaria de ser bruto como o Justiceiro, Conan, Hellboy ou o Marv de Sin City... estou sonhando acordado.

Loja “O Cara dos Quadrinhos”
Horário de Funcionamento: De segunda a sexta, das 10h às 19h / Aos sábados, das 10h00 às 18h00
Local: Galeria do Rock
Endereço: R. 24 de Maio, nº 62 – 2º andar – Loja 329
Fone: (11) 3337-3804

Nenhum comentário: