13/07/2012

.: MÚSICA .: Dia do Rock .: : Os maiores sobreviventes do mundo do rock

Aquela velha trinca “sexo, drogas e rock ‘n roll” já derrubou muita gente pelo meio do caminho. Astros vitimados pelos excessos da fama, pela incapacidade de lidar com a obscena quantidade de substâncias´ilícitas oferecidas nos bastidores, todas elas misturadas, tudo ao mesmo tempo agora. Os exemplos são inúmeros, basta puxar pela memória – de Janis Joplin até Jim Morrison, passando por Keith Moon (The Who), John Bonham (Led Zeppelin) e Bon Scott (AC/DC). Mas, em compensação, existem aqueles que, mesmo bebendo, fumando e cheirando tudo que viam pela frente, continuam por aí, cantando e tocando como se não houvesse amanhã. Verdadeiros monumentos do rock que, sinceramente,a ciência vem tentando entender. Afinal de contas, como diabos estes sujeitos ainda estão vivos? E ainda continuam subindo ao palco?

8) Brian Wilson (The Beach Boys)
Ele ouvia vozes, tinha desejos suicidas, foi diagnosticado com esquizofrenia e depressão – e chegou até a se apresentar formalmente aos próprios filhos, que simplesmente não reconheceu em uma ocasião no backstage de um show.

7) Iggy Pop
Em Nova York, viciado em heroína, virou morador de rua durante algum tempo e, reza a lenda, teve até que se prostituir para manter o vício. No palco, ficava peladão, rolava em cacos de vidro e, pasmem, até tomava o próprio vômito. Isso era a definição máxima de “estar bem louco”.

6) Lemmy Kilmister (Motörhead)
O que se pode esperar de um cara que, segundo consta, era mais do que roadie de Jimi Hendrix, mas o responsável por seu fornecimento de drogas? E que já acorda tomando uma garrafa de Jack Daniel’s com Coca-Cola? E que afirma: “não conseguiria trabalhar sem fumar ou beber”?

5) Nick Cave
Por volta dos 20 anos de idade, este camarada começou a usar heroína – e transformou este vício em uma carreira tão sólida em sua vida quanto seus dotes musicais e cênicos. O resultado? Transformou a sala do apartamento que dividia em uma verdadeira galeria de tiro.

4) Steven Tyler (Aerosmith)
O próprio vocalista confessa que, no seu “auge”, ele e o colega de banda Joe Perry chegaram a cheirar, em cocaína, o equivalente a um avião. Muitos anos depois, fez uma cirurgia no pé – e, como resultado, se tornou dependente dos analgésicos e calmantes que lhe foram prescritos.

3) Nikki Sixx (Mötley Crüe)
Honestamente, acredito que qualquer um dos integrantes do Crüe caberia tranquilamente nesta lista, dada a quantidade de bebidas e drogas que cada um usou. Mas Sixx foi o único que sofreu uma overdose de heroína e chegou a ser declarado morto no caminho para o hospital. No melhor estilo “PulpF iction”, acabou sendo ressuscitado com uma injeção de adrenalina no coração.

2) Keith Richards (The Rolling Stones)
Nem interessa se é verdade ou não – mas quando chega ao ponto de que aquele papo de que o guitarrista teria cheirado as cinzas do pai misturadas com cocaína parece tão, mas tão verdadeiro, você sabe que ele exagerou na dose ao longo dos anos. Estamos falando de um cara que fuma mais de cinco maços de cigarros por dia!

1) Ozzy Osbourne
Quando uma junta de cientistas se reúne para mapear o código genético de um sujeito, com o objetivo de entender como diabos ele sobreviveu a estes mais de 40 anos de utilização abusiva de álcool e todos os tipos de drogas já produzidas pela humanidade, é mais do que claro que ele merece estar no primeiro lugar deste top 8.

Nenhum comentário: