25/04/2013

.: TELEVISÃO .: Relembrando Spectreman!


Já dizia o poeta que "Relembrar é viver". No caso do herói ancestral a quem dedicamos esta matéria, o ditado poderia ser "Desenterrar é viver". Das profundezas do mundo televisivo, muito antes da explosão dos Power Rangers e seus predecessores, os Changeman e Flashman da vida, muito antes até do sucesso de Ultraman, Ultraseven e qualquer um da espécie, ele surgiu para defender a Terra das forças do mal. Numa Tóquio de papelão, combatendo monstros de espuma e símios de cabelo descolorido, ele era...Spectreman.

"Spectreman" é uma produção japonesa de 1971. Batizada originalmente de "Spectralman", teve 63 episódios até ser finalmente cancelada, para desespero dos fãs. Na verdade, o seriado é daquelas coisas que, de tão ruins, acabaram se tornando cultuadas e veneradas. Os efeitos especiais eram terríveis (quem se lembrar das rajadas de energia do Spectreman vai saber do que estou falando), os figurinos pavorosos, os cenários todos descaradamente de pura cartolina e os monstros lembravam claramente fantasias baratas de animadores de festa infantil.

No entanto, foi uma das coisas mais divertidas que a televisão japonesa já produziu (ao lado do Ultraseven e do seriado original do Godzilla).

A história da série começa quando o brilhante cientista Doutor Gori, um macaco loiro com QI de mais de 300, falha ao tentar conquistar seu planeta natal, o Planeta E. Fugindo das autoridades locais, ele acaba voando pelo espaço sem rumo, ao lado de seu fiel escudeiro, o enorme gorila Karas (que, como todo bom ajudante de supervilão que se preze, é forte pra diabo e burro como uma porta). Finalmente, sua nave dá de cara com a Terra, que acaba fascinando Gori por suas belezas naturais. Mas ao dar de cara com a poluição e degradação dos recursos naturais que os próprios terráqueos causam ao planeta, Gori não pensa duas vezes, e resolve acabar com todos os humanos e varrer a superfície da Terra para construir um novo Jardim do Éden. Para isso, começa a se valer de furiosos monstros criados a partir da própria poluição.



O macaco genial não contava, no entanto, com a intervenção dos misteriosos habitantes do planeta artificial Nebula 71 (sim, aquelas abóbadas nos céus conversando com Spectreman não eram espaçonaves, e sim um planeta). Embora frios e calculistas, sua missão é proteger o universo de intervenções malignas como as de Gori. Para proteger a Terra, é destacado um agente muito especial: o poderoso cyborg Spectreman, que recebe suas energias diretamente de Nebula 71.

Seus poderes são suficientes para arrasar com a horda dos símios conquistadores: além da superforça e supervelocidade, Spectreman pode voar, assumir o tamanho que bem entender (dependendo da criatura que estiver combatendo) e ainda disparar raios congelantes, shurikens (aquelas estrelinhas ninja, saca?) e o temível Spectreflash, uma rajada espectral (não me pergunte o que é exatamente isto) que detona todo e qualquer monstro que vir pela frente. Por sinal, foi exatamente por causa deste raio que a imprensa da Terra acabou batizando-o de "Spectreman".

Para evitar que seja facilmente descoberto pelos terrestres ou pelos homens (ou macacos) do Dr.Gori, Spectreman assumiu uma forma humana como disfarce. Chamado de Johji Gamoh, ele vive em Tóquio (onde mais?), trabalhando como um dos especialistas do Bureau para Pesquisas sobre Poluição. Para se transformar no nosso grande salvador, bastava apenas que Johji erguesse seu braço direito, requerendo a Nebula que pudesse assumir a forma de Spectreman.

Mas...

Nem tudo eram rosas na vida do bonitão Johji. Originalmente um cyborg, ele vai pouco a pouco se tornando mais humano, se acostumando aos sentimentos dos humanos e se afeiçoando à vida na Terra e aos seus habitantes. Quem não fica nada contente com esta história são seus chefões lá em Nebula, as criaturas mais racionais de todo o universo (e que não hesitariam em sacrificar um pelo bem de um milhão). O resultado é que, no decorrer dos episódios, Spectreman desobedece aos patrões uma porrada de vezes para salvar seus grandes amigos, criando uma série de conflitos. A coisa chegou num ponto que, determinada ocasião, o imbatível guerreiro estava à beira da morte exatamente por ter desobedecido às ordens de Nebula, e os caras chegaram a pensar na hipótese de deixa-lo ir desta para uma melhor e trazer outro agente para substitui-lo. Uma declaração emocionada de amor à Terra ajudou a trazer o Spectreman de volta à ativa para dar um pau em Gori e sua patota.

Por sinal, a dupla de vilões Doutor Gori e Karas é uma das mais divertidas criações do mundo da ficção. Eles são muito engraçados: a burrice de Karas é a principal desgraça para os planos mirabolantes de Gori, um macaco de cabelos loiros que tem a estranha mania de falar acompanhado de estranhos sinais com as mãos (alguns dizem que ele seria o primeiro macaco surdo-mudo da história). É triste lembrar que Karas acabou sendo morto pelos raios de Spectreman no último episódio do seriado. Uma perda latismável...

Em tempos de "V.R.Troopers" e mesmo dos "Power Rangers", dá uma saudade do Spectreman - pelo menos, ele e os macacos supervilões eram personagens honestos, sem estas artificialidade que recobre os atuais guerreiros supercoloridos...

Nenhum comentário: