22/07/2013

.: CINEMA .: Duas ótimas continuações infantis!


Atualmente, estão em cartaz as continuações de dois grandes sucessos da animação infantil – e ambas são gostosas o suficiente para que você possa acompanhar filhos/sobrinhos/afilhados e similares e ainda se divirta um bocado.

A primeira delas, “Universidade Monstros”, é na verdade um prólogo de “Monstros S/A”, mostrando como Mike e Sulley se conheceram muito antes de Boo entrar nas suas vidas, quando ainda estudavam arte de sustos na faculdade. Inicialmente, o anúncio da produção me deu um pouco de medo. A Pixar não anda lá numa fase muito boa – e, a exemplo do que aconteceu com “Carros 2”, esta continuação coloca seus holofotes sobre um coadjuvante que fez mais sucesso do que o protagonista original. E todos sabem bem o quão doloroso foi ver o segundo “Carros”, ruim de dar dó, por mais que seja estrelado pelo divertido Mate.

Não é o caso em “Universidade Monstros”. Tudo bem, não dá pra dizer que estamos diante de uma pérola como “Toy Story 3”. E a trama é bastante similar à uma série de filmes oitentistas a respeito de adolescentes no campus universitário: temos o nerd (Mike), o privilegiado folgado (Sulley), as fraternidades, a diretora, a inesperada união de fracassados, a luta para mostrar que eles merecem. Mas é tudo costurado de maneira divertida, ágil e inteligente. Vemos um desenvolvimento interessante para o Mike. E uma coleção de novos coadjuvantes, todos funcionando perfeitamente na arte de fazer rir.


Outra continuação que vale a visita ao cinema, com direito a baldão de pipoca e tudo, é “Meu Malvado Favorito 2”. Sequência direta de uma das mais agradáveis animações dos últimos anos (a outra, “Tá Chovendo Hambúrguer”, também ganha o seu 2 este ano), este filme mostra Gru mais confortável no papel de papai e em busca de um novo afazer para manter seus minions ocupados com suas traquitanas científicas. Mas eis que surge uma nova ameaça vilanesca mundial. E uma agência secreta de manutenção da paz envia uma certa senhorita (que acaba mexendo com Gru de uma forma que ele jamais imaginou, diga-se) para convocá-lo para a missão: um ex-vilão vai ajudar a derrubar um outro vilão.

Gru, novamente dublado com competência pelo comediante Leandro Hassum, é ótimo, mas está longe de ser o destaque de uma história simples, mas que segura com maestria o mesmo nível de qualidade da primeira película. As meninas dão um show à parte – Agnes continua tão graciosa quanto hilariante – e os amarelinhos ganham muito mais tempo em tela, garantindo as gargalhadas com gags repletas de explosões, tombos e caretas, naquela mesma tradição dos desenhos dos Looney Tunes. Merece o passeio.

Se a safra de animados continuar neste nível de qualidade, a molecada (e seus papais, mamães, padrinhos, madrinhas, titios e titias) não vai ter do que reclamar.

Nenhum comentário: