21/08/2013

.: MEMÓRIA NERD .: Os Herculóides


Todo mundo assistia, conhece os monstrinhos, mas a maioria nem sequer lembra o nome do desenho, aposto! Quanto mais os nomes dos personagens ou do planetóide onde eles viviam! Mas, para isso, dei uma de Indiana Jones e fui buscar no fundo do baú tudo que você precisa saber sobre... os Herculóides! Mas pelamordedeus, não me venha dizer: 'Ei, não são estes caras que cantavam "Bagulho no Bumba"? E eu digo: NÃO! ^_^

Os Herculóides (The Herculoids), uma vigorosa criação de ação e aventura da Hanna-Barbera, debutaram nas manhãs de sábado no canal americano CBS, em setembro de 1967, e duraram até por volta de setembro de 69. Mas os esquisitões voltaram a aparecer em 78, quando passaram a dividir espaço com o terrível desenho dos Globetrotters (lembram do cara que tirava tudo do cabelo black-power?) e com o Urso do Cabelo Duro (CB Bears). Em 81, os Herculóides ganharam novos episódios, para estrelar um clássico espaço na NBC com o nosso velho amigo Space Ghost (o clone do Overman). Aliás, Space Ghost e sua patota (o casal de gêmeos Jan e Jace e o macaquinho Glip) sempre davam um pulinho no planeta dos Herculóides, estabelecendo assim o crossover nos cartoons.

Você lembra do que se tratava o desenho, né? Eram as aventuras de uma família de humanos meio-bárbaros, que tinham de sobreviver no estranho e rico planeta Quazar. Estranho era que, apesar de parecerem realmente uma família, nunca foi deixado claro no desenho se Zandor, o cabuloso do estilingue, era realmente casado com Tara e se ele seria mesmo pai de Darno. Já perceberam como a Hanna-Barbera nos deixava sem quaisquer informações exatas sobre o passado de certos personagens? Bem, voltando ao assunto em questão...o planeta era riquíssimo em recursos minerais e espécies animais e vegetais, e parecia não ser habitado por qualquer outra vida inteligente, além dos nossos protagonistas (se é que se pode chamá-los de vida inteligente...). O mais legal no tal do planeta é que ele misturava alta tecnologia e barbarismo, sem medo de ser feliz, deixando a gente sem saber direito em que época se passavam as tais aventuras. A variedade de espécies animais do planeta é provada pela patotinha estranha que se junta a família de aventureiros para defender o planeta da invasão de todo o tipo de alienígenas com todos os tipos de raios laser e máquinas totalmente esquisitas.

:: VAMOS AOS PERSONAGENS...

Zandor: O paizão e líder dos Herculóides, cujas armas eram um pequeno escudo e um estilingue, com o qual o nosso tiozinho tinha uma pontaria perfeita! O que me deixa meio grilado com este cara é este arquinho meio estranho que ele usa pra prender o cabelo... Parece uma daquelas coroas de Miss Universo... Hum, será que ele camufla?

Darno: O pivete encrenqueiro e brincalhão, que, na maioria das vezes, metia toda a galera em confusão. O moleque idolatrava o espírito guerreiro de Zandor, e achava que já estava pronto para ser como ele...

Tara: A única mulher dos Herculóides. Sinceramente, acho que o único papel dela era servir de refém e saco de pancadas, porque ela meio que não fedia e nem cheirava nas histórias. Ah, tá certo que a moça era uma gata, loiraça, e que vez por outra mostrava que de sexo frágil não tinha nada, mas ainda ficava meio a desejar...

Igoo: O fortão da equipe! O monossilábico gorila de pedra (ele só gemia, parecia o Lurch, mordomo da Família Addams) era pura força, detonando todo mundo que viesse pela frente. E o que ele tinha de forte e resistente (nenhum alien derrubava o grandão!), tinha de burro. Mas seu coração era tão grande quanto a sua força, como aqueles bons clichês de quadrinhos... O monstro burro e bonzinho.

Zok: O grito mais famoso dos desenhos animados. Este dragão alienígena é muito estiloso, e podia disparar raios de energia foderosos e destruidores de seus olhos e também da cauda. Porra, como todo bom dragão, é claro que ele voava, senão, para quê serviriam aquelas asas? Zok, algumas vezes, servia como meio de transporte para Zandor, sempre na eterna missão de tirar Tara e Darno de encrencas.

Gleep e Gloop: Quem lembra dos Herculóides, lembra destas duas criaturazinhas. Eles eram brincalhões, enxeridos e curiosos, quase duas crianças e, junto com o moleque Darno, eram o toque de humor do desenho. Os dois eram duas estranhas criaturas amorfas, meio que feitos de uma massa protofórmica, que os permitia assumirem todas as formas possíveis e imagináveis, principalmente usando o corpo para proteger o resto do grupo. Era demais ver os dois se comunicando através de um ruído esquisito, mas muito bacana, que era a marca registrada deles.

Thundro: Aquele rinoceronte com uma poderosa carapaça de proteção, e que lançava pedras de energia (pareciam ser rochas vulcânicas) de seu chifre, que por sinal, explodiam a qualquer impacto. Outro efeito da hora que ele fazia era o de aumentar suas pernas para funcionar como uma espécie de elevador, tipo o Metalóide, aquele inimigo ridículo do Demolidor.

Relembrar é viver, né? Aqui no Brasil, os direitos de exibição são da Bandeirantes, que não tem nenhum horário ou dia fixo de exibição. É mole? Já no belo mundo da tevê a cabo, o Cartoon Network já passou diversas vezes a série. No caso, é bom ficar ligado no Tooncast, o canal de velharias em animação, para ver quando esse clássico da Hanna-Barbera dará as caras por lá.

Nenhum comentário: