01/08/2013

.: MONDO NERD .: Grandes histórias do mundo do RPG


Essa é bem antiga, e embora muitos achem que se trata de uma lenda do RPG na cidade de Santos/SP, ela é legítima: aconteceu comigo mesmo e com o meu saudoso grupo de jogo, assim que o Vampire: The Masquerade chegou ao Brasil e caiu nas nossas mãos. Era a nossa primeira aventura deste novo sistema, e resolvemos apelar para a clássica aventura do módulo básico: a cidade de Gary, Indiana, o príncipe Modius, seu revanchismo contra a vizinha cidade de Chicago e toda aquela coisa. Bem, o resultado da coisa é que nós, três players iniciantes de Vampire, descobrimos, já lá pela quinta sessão de jogo, que todos os grandes membros da cidade estavam nos usando numa de suas maquinações, e que nós tínhamos ido longe demais. Então, ao chegar na mansão do Toreador Modius e ver ele e aqueles que achávamos que eram seus maiores inimigos juntos, percebemos que tinha algo errado. Estávamos encurralados.

Só que já eram 4h30 da matina de uma sexta-feira, e tanto nós players quanto o mestre já estávamos mortos de sono. Então, o player que interpretava um Malkavian que era comediante de stand-up comedy (tipo o que o Jerry Seinfeld faz no início e no fim de cada episódio de seu seriado) escrachou: "Ei, alguém aí pediu pizza?". O caso foi que todos começamos a rir feito imbecis, e começaram a rolar as situações mais absurdas - a aventura já tinha ido pro saco. "Vamos nos transformar nos Changeman e detonar esse Modius", dizíamos. "Ah é? Então, aparece o Ghyodai e deixa o Modius gigante!", retrucava o mestre. E tome gargalhada. Até que o mestre caiu na besteira de dizer: "Então, aparece o Caim no meio da sala!". E o Malkavian (sempre eles) não pensou duas vezes: "Dou um tiro com meu 38 no meio da testa do safado!". "Ele cai", diz o mestre, "mas então levanta e diz:

- Melhor de três..."

Não paramos mais de rir e resolvemos dar o jogo como oficialmente encerrado. Depois desta, nosso grupo ficou conhecido como Os Caincidas!

-------------------------------

Era a áurea (será mesmo?) época na qual a Abril detinha os direitos sobre a publicação do AD&D aqui no Brasil. Durante uma das Bienais Internacionais do Livro, em São Paulo, a editora montou um estande temático pra divulgar o jogo para os adolescentes babões que eram forçados pelos pais a acompanhá-los: em forma de castelo, com livros de RPG por todos os lados e devidamente guardado por um cidadão trajado como cavaleiro medieval. Só que acho que passar o dia todo vestindo uma armadura de metal e carregando uma espada e um escudo da Idade Média não fez bem pra cabeça do cara...

Vendo uma puta duma movimentação num estande perto do seu, o "cavaleiro" resolveu saber do que se tratava. É claro que, conforme ele se aproximava, o povo ia dando espaço pro cara passar - e você não sairia da frente de um infeliz com uma enorme two-handed sword? Eis que o cara chega a uma mesa, depois da enorme fila ter deixado o cidadão passar, e ele dá de cara com o mago bestseller Paulo Coelho, distribuindo autógrafos em seu último livro (não lembro bem qual era - também, o cara lança um por ano!). Sem saber o que dizer, Paulo Coelho levantou os olhos e arriscou um solícito "Pois não?" E não é que o nerd fantasiado de cavaleiro aprontou das suas?

- Tu és o mago de plantão?, disse o cara de armadura.
Meio sem jeito, Paulo Coelho olhou para um lado, olhou para o outro, e respondeu:
- É, acho que sou eu sim- com um sorriso amarelo no canto do rosto.
- Por acaso tu encantas espada? - perguntou o cavaleiro
- Não - respondeu o mago escritor
- Talvez tu encantes escudo? - perguntou o cavaleiro
- Não - respondeu o mago escritor
- Então tu encantas armaduras? - perguntou o cavaleiro
- Não - respondeu o mago escritor
- Então que MERDA de mago você é? - bradou o cavaleiro, que deu as costas e saiu andando, deixando a multidão e o próprio Paulo Coelho aos risos...
-------------------------------

Uma das melhores histórias sobre jogadores de RPG que eu já ouvi - e o pior é que é verídica. Well, como todos bem sabem, o maior tesão dos jogadores do RPG Street Fighter, da White Wolf, é encontrar os personagens famosos do game e suas planilhas forçadas. Mais ainda, o grande ninja-espanhol Vega, considerado o mais estiloso lutador do planeta. O cara tem mais fãs do que ele (e a Capcom) imagina.

Bom, estava o nosso player em questão (cujo nome não posso revelar por questões óbvias) sozinho em casa com uma garota com quem ele saía há tempos - os pais do cara estavam viajando. A garota estudava na faculdade na qual o Cidão aqui se formou, e devo admitir que a mulher é um puta dum avião, perfeita dos pés a cabeça - e segundo ele e todos os outros que já estiveram com ela, um furacão na cama. Já tinham transado uma vez, estavam nus na cama vendo TV e brincando um pouquinho, se preparando pra outra. Então, toca o telefone na sala. O cara, enrolado num lençol, vai atender, preocupado com a possibilidade de serem seus pais.

- Alô - diz o apreensivo player
- E aí, tu vai ou não vir jogar? A galera já está toda aqui! - era o mala do mestre de uma aventura de Street Fighter que o cara jogava
- Vou jogar nada, tá doido! Estou aqui com a Fabi, e meus pais tão em Ilha Bela! Tamos fazendo a festa!
- Fabi, aquela gostosinha? Legal mesmo! Ah, mas tem o seguinte: o pessoal já tá todo aqui, ninguém conseguiu falar com você hoje! Vamos jogar mesmo sem você!
- Falou, pode jogar! Só me coloca fora da cena de algum jeito e boa!
- Mas fica ciente que é hoje que a galera encontra com o Vega.
O player paralisou do outro lado do telefone, e quase deixa cair o lençol enrolado ao corpo. Se recuperando, ele diz:
- Filho duma puta! Estamos há um mês esperando esta cena e tu vai colocar o Vega no jogo sem mim? Adia esta merda, por favor! Em nome da nossa amizade!
- Não senhor! Tá todo mundo aqui e isso não é justo com os outros players...
- Tá...dá um tempo aí...

Com cara de arrasado, o player volta para a cama, e diz para aquela beldade semi-nua:
- Surgiu um probleminha e eu vou ter que sair... Resultado: gostosa dispensada, o cara estava em quinze minutos na casa do mestre e pôde, finalmente, encontrar com o Vega...

Nenhum comentário: